Lista de chamada

E não é que nasceu a filha da Alessandra Ambrósio??? E pra que chamar a menina de Maria, Isabella, Daniela?????? Não, coloquemos nomes de filhos de celebridade. Tipo Anja. Aaaaaaah gente, alguém deve ter passado três vezes na fila da beleza, pulou a do cérebro e simplesmente esqueceu a do bom senso!!!!!! Anja???????? Tudo bem que em algumas línguas Anja pode ser lido como Ania, mas a guria-mãe é Brasileira não é não? Ou será que ela se esqueceu de que a coitada da Anja vai ter CPF, RG, vai um dia enfrentar fila de Poupatempo e vão chamar ela de Anja!!!!!!?????
E eu aqui pensando mil vezes antes de querer chamar uma futura filha de Chloé só imaginando ela reservando uma mesa num restaurante e o povo gritando “Senhora Xiloé???”
E tudo bem que ela é uma das modelos mais bem pagas do mundo, é “anja” da Victoria Secret´s (ahaaaaaaa!!!!!!). Deve ter pensado “mmm se eu sou tão famosa não posso chamar a minha filha de qualquer coisa”. Tem que ser nome de filho de celebridade do século 21. Mmmmm… vamos ver…. tem que ser imbatível. Apple e Amora já existem. Filhas de Gwyneth Paltrow e Jorge Mautner, respectivamente.  Frank Zappa já batizou a filha de Moon Unit (unidade lunar, minha gente….).  Tipo, Anja, vai ser fichinha…
Imbatível é que não é. Eu ainda tenho alguns na minha cabeça que disputam o primeiro lugar há séculos…. Mano Vladimir, da Marisa Monte. Porque não MC Beicinho????? Daria na mesma. Kal-El, filho do Nicholas Cage (pra quem não lembra, Kal-El era o verdadeiro nome do Superman!!!!!)… Everly Bear, do Anthony Kieds (Urso Everly???? Não aguento o nome Bear, apesar de adorar o Bear Grylls….)  Ou a mais novinha da turma, Sunday Rose, da Nicole Kidman… Mas eu ainda acho que o que chega mais perto do troféu é Pilot Inspektor, filho de Jason Lee, da série “My name is Earl”. Gente, como alguém pode chamar um bebê de Inspetor Piloto???????? E, claro, sem esquecer Brooklyn, o herdeiro Beckham… que veio com a explicação de ter sido concebido no bairro Nova Iorquino…. aaaah tá…. imagina se o pobrezinho tivesse sido feito em Coxixola, na Paraíba???? Ah, se a moda pega….

Anúncios

Aranha

Tava aqui observando a aranha que fez uma teia na minha janela há semanas.
Ela passa o dia todo escondida atrás da moldura da janela, chamemos de “casa”. Quando um inseto se aventura pela sua teia ela vai lá, pega o coitado e o puxa para casinha.
Aí ela come o indivíduo durante horas a fio. Só que o pobrezinho destruiu a teia enquanto se debatia. Depois da digestão, lá se vai dona aranha reconstruir toda a teia e voltar pra casinha pra esperar outro pobre coitado. Que vida mais besta tem aranha….

Terça

Hoje eu tenho mais um turno noturno…. e o David também vai trabalhar à noite. Talvez ele vire a noite trabalhando, e eu trabalho amanhã até às 23h. Então existe uma grande chance da gente se ver só amanhã à noite, o que não é nada legal…

Hoje tô down, me bateu aquela dor de saudade tão grande do Brasil, da minha casa, da minha família. As coisas por aqui estão mudando, o emprego novo, com certeza faz toda a diferença. Eu sou absolutamente feliz com o meu marido, mas pra ser bem sincera, este não é o meu lugar. Não era aqui que eu queria estar… O amor tem um preço muito, muito alto.

O shortinho de cetim e o check in

Ontem foi meu primeiro turno noturno… das 14:45 às 23:30h. Aproveitei a manhã pra ir na academia, fiz musculação, cross trainer e corri. Baixou um cidadão lá que eu não conseguia parar de rir. O cara tava de óculos escuros (dentro da academia fechada) e usava um short de cetim azul (?????). Um horror. Como se só isso não estivesse bom, ele parou no pulley, segurou a barra e eu crente que ele ia começar a série… que nada, o cara começou a dar umas reboladinhas pra um lado e pro outro, um movimento circular, com aquele shortinho de pijama azul bebê e a barriguinha aparecendo… eu quis morrer! Não consegui segurar o riso, não sei se ele me viu, mas foi inevitável!!! Pior é que ele não fez série nenhuma mesmo, segurou o pulley só pra rebolar! hahahahaha!
No hotel foi ok. Tô começando a me estressar já, muito trabalho ao mesmo tempo, eu não tenho como ajudar muito quem fica comigo (óbvio, comecei de verdade na recepção ontem!!!) e as pessoas acabam ficando sobrecarregadas. Resultado, a menina que tava comigo ontem teve que fazer um milhão de coisas ao mesmo tempo e eu fiquei só no check-in… perdi todo o acompanhamento dos outros processos!
Fazer check in é tranquilo, o que me pega ainda são os milhares de reports que têm que ser impressos, contas de minibar, banking, contas de restaurantes, report de evacuação, report de autorização de crédito, tem report que não acaba mais. E cada um com seu código… E outra, ontem contei o cofre. Eu não sou a melhor pessoa com dinheiro, sou meio avoada com isso. Mas tem que contar, pesar as moedas do cofre, contar o float, receber dinheiro, anotar tudo tim tim por tim tim…
Enfim… os check ins foram baba… Ainda ando meio nervosa pra atender telefone e pra conversar muito com os hóspedes… o foda é que eles se irritam com a minha lerdeza!!! Mesmo estando escrito “trainee” na minha plaquinha… mas eu entendo né, quando a gente chega num hotel a primeira coisa que quer fazer é um check in rápido, subir pro quarto e descansar…
No fim, meu turno era até às 23, saí de lá às 23:30, cheguei aqui podre… além de ter malhado pra caramba fiquei literalmente oito horas em pé e de salto. Minhas pernas não aguentavam mais. O David já tava virando abóbora e mal deu tempo de aproveitar meu maridinho…
Hoje desencanei da academia, vou nos meus days off (esse fim de semana). Daqui a pouco farei outro turno noturno… e espero que seja tranquilo.

One more day

O dia começou bem… dei uma atrasadinha básica, cheguei no ponto de ônibus no horário, mas acabei esquecendo minha aliança. Passei o dia todo com aquela sensação de estar esquecendo algo!!! E um dedo pelado!!!!
Fiquei mais na recepção hoje, tremendo as pernas toda vez que um hóspede se aproximava, porque ainda não sei fazer check in e check out direito. O telefone eu me dei bem. Adorei fazer as chaves dos quartos, é a parte mais divertida (????).
Hoje comecei a odiar a menina que começou comigo, a tal da Ashleeigh (vê se isso é jeito de se escrever o nome). Ô menininha sem graça. Acho que ela é meio preconceituosa com estrangeiro, porque até que é simpática com os outros recepcionistas ingleses. Mas comigo ela se restringe aos “yeah”, “no” e “mmm”. Fora que tá sempre de cara amarrada, com cara de c* mesmo!!! E me olha como se eu não soubesse de nada… é óbvio, tem sido muito mais fácil pra ela aprender as coisas do que pra mim, afinal, é muito mais fácil processar informações – e guardá-las – na sua própria língua!!!
O almoço do hotel tem sido um caso a parte… almoço de staff, aquela coisa pobrinha… esses dias teve batata frita, nuggets de frango (que não tinha gosto de frango), hamburguer (que não tinha gosto de carne)… enfim, tudo que é considerado barato e de baixa qualidade… e eu sou fresca com comida, tenho que ingerir minhas doses diárias de carboidrato, proteína, selênio, omega 3, fibras, etc, etc, etc… Do jeito que vai tá mais pra eu ingerir um pedaço de osso no nugget! Então tô começando a pensar na idéia de levar pelo menos uma salada! Agora com os turnos noturnos que vou fazer (amanhã, sexta e semana que vem inteira) vai ser um pouco melhor, porque posso almoçar bem em casa e jantar pouco por lá. Mas, anyway, não dá pra reclamar de comida de graça!
A parte mais divertida do dia foi pegar o ônibus de volta, abrir a porta, o motorista sorrir e dizer “hello pretty lady I brought here yesterday!!” Achei muito fofo ele me reconhecer!
Como só tinha eu e ele no ônibus a gente veio conversando o caminho todo, ele já sabe a minha vida inteira, disse que adora conversar com os passageiros e alegrar-lhes o dia!
Eu desci do ônibus (vestida de freira) e caminhei em direção a minha casa. Ele passou por mim na rua, deu uma buzinada e acenou. Juro que esse papo com o motorista do ônibus hoje fez meu dia mais alegre!!

Update

2º dia de trabalho. Hoje foi mais fácil, já saí de casa vestida de freirinha e resolvi pegar o ônibus que passa perto de casa. Só passa às 9h, eu tinha que entrar às 10h. Mas pra pegar o das 9:30 no centro eu teria que sair de casa às 9h de qualquer jeito, então peguei o daqui. Cheguei lá mais cedo, sentei na canteen, tomei um café, entreguei meus papéis assinados no RH, arrumei um armário. E descobri que a menina do RH me deu o vestido “long”, para mulheres altas, por isso tá tão comprido. Espero que ela ache um “normal” ou “short” pra mim…
Hoje aprendi sobre fazer check in, check out, reserva, tive reunião de “health and safety”, foi bacana. Os códigos do programa de reserva, o Fidelio, ainda vão levar um tempo para serem decorados, mas já deu pra brincar um pouco!
E – pasmem – almocei baked beans, coisa que sempre odiei por aqui! E não é que gostei deles hoje????
Na verdade os baked beans aqui da Inglaterra são muito comuns no café-da-manhã inglês, chamado de “fry-up”. Nada mais que sausages fritas ou grelhadas, fatias de bacon, cogumelos e tomates fritos, baked beans, às vezes purê de batatas e às vezes “toast” frita (tipo, enfia um pão de forma na frigideira com óleo. Eu tenho pânico. Minhas veias entopem só de olhar o prato!
E o que são os baked beans, afinal? Bom, não sei bem como eles são feitos, se são assados mesmo, se são cozidos. Só sei que são feijões que vêm num molho vermelho, que eu suponho que seja um molho de tomate, e são levemente adocicados. Hoje – não sei se foi por falta de opção – mas eu bem que gostei deles!

1º dia do 1º emprego em terras de Dona Beth

Hoje foi meu primeiro dia no Hotel. Pra quem não sabe comecei hoje a trabalhar no Millenium Madejski Hotel daqui de Reading, que vem com um estádio de futebol de brinde. Resumindo, meus clientes principais são business e o hotel vira festa da mãe Joana se o Reading F.C. estiver na Premiership (liga).
Hoje meu horário foi de iniciante, das 10h às 18h, sendo que a minha manager me liberou às 16h. Amanhã e quarta ainda serão nesse horário. Quinta e sexta eu pego a late shift, das 15h às 23h.
Mas as coisas por aqui não tem comparação com empregos no Brasil. Por exemplo, quando eu fizer a early shift (das 6:45h às 15h) um motorista do hotel vem me buscar em casa. E quando for a late shift, o motorista me traz pra casa. Isso porque Reading não tem ônibus antes das 7h nem depois das 22h.
Hoje conheci o hotel, alguns quartos… bem bacanas! A gente pode ficar lá de vez em quando, quando por exemplo tiver que trabalhar na late shift e early shift no dia seguinte! A banheira e a cama imensa me deram água na boca!
Tem almoço ou jantar incluído no meu contrato, então almoçarei ou jantarei por lá, dependendo do meu turno.
Eu gostei bastante, tá certo que não tô onde quero, mas já fiquei de olho grande quando descobri o departamento de vendas (que aqui é meio marketing e sales): Fora isso minha gerente é uma alemã grandona, de sotaque bonitinho e engraçada pra caramba!
Amanhã ainda vou ter mais treinamentos, tem muito o que aprender ainda… mexer com o sistema, operar cartão de crédito, todas essas coisas…. Mas os benefícios são tantos que não tem como não gostar!
Ah, e recebi os uniformes (pelamoooor de Deus! pra quem trabalhou com moda a vida inteira, eu quis me virar do avesso!) Um vestido azul marinho, desses meio de crepe com forro e tudo… Decote careca na goela, pra não aparecer nada, e – teoricamente – era pra ele bater no joelho. Mas com a altura toda que Deus me deu ele vai quase no meio da perna e eu me sinto uma freira! A “jacket” (paletó) +e gigantesco, parece que eu peguei emprestado do David!!!! Ainda tem uma plaquinha com o meu nome pra colocar, meia calça e um sapato que seja viável para oito horas em pé!
Amanhã eu conto mais!

Considerações sobre a Inglaterra…

Especial para quem mora desses lados da Terra, ou para quem quiser se inteirar com a vida por aqui…

Você percebe que está definitivamente morando na Inglaterra quando:

– Coloca vinagre na batata frita;
– Sabe que crisps, chips e fries são coisas completamente diferentes;
– Não reclama mais do tempo;
– Conhece programas como Blackadder, Fawlty Towers e Red Dwarf… e morre de rir com eles;
– Já comeu sheppard´s pie ou cottage pie;
– Entende perfeitamente o humor britânico, acha fantástico e engraçadíssimo;
– Acompanha Eastenders, Hollywoaks ou Coronation Street, ou pelo menos sabe o que são;
– Talvez não saiba o nome da linha do metrô de Londres, mas sabe chegar lá direitinho sem olhar no mapa;
– Vai aos festivais;
– Faz picnic quando chega o verão e toma sol no parque (de roupa);
– Anda na neve de guarda-chuva;
– Assiste a Britain´s got talent e Xfactor;
– Não fala com os seus vizinhos, ou melhor, nem sabe quem são;
– Não dá mais bom dia na rua;
– Controla melhor os sorrisos para “estranhos”;
– Já entende inglês com sotaque “asian”;
– Sabe onde é a Poundland e a 99p store;
– Come weetabix, shreddies ou porridge;
– Compra crisps salt and vinegar;
– Sente falta de banheira quando não tem, mesmo se você nunca teve uma no Brasil;
– Pode odiar (como eu), mas sabe o que é salad cream e marmite;
– Continua não vendo sentido nas propagandas;
– Come um roast dinner aos domingos de vez em quando;
– Não cumprimenta mais ninguém com beijo, no mááááximo um aperto de mão e olhe lá…
– Usa mais sua  bicicleta do que quando era criança;
– Adora yorkshire pudding;
– Não se incomoda mais com as crianças vestidas de gravata e sapatos para a escola;
– Não se choca com o “crime da semana “, geralmente psyco e assustador;
– Assiste Street Wars e conhece os policiais da sua cidade (os meus são Pat e Carl);
– Já se acostumou com as teias de aranha nas janelas, corvos e megpies;
– Tem cheddar na geladeira;
– Não tira mais fotos de patos;
– Sonha em inglês;
– Toma “tea” no tea break do trabalho, ou na escola. E com leite.
– Toma suco de laranja Tropicana e acha ótimo;
– Faz natação em piscina pública ou frequenta a academia da prefeitura;
– Põe a “kettle on” quando chega alguém em casa (chaleira elétrica);
– Um fry-up já não é mais coisa de outro mundo;
– Já não se espanta com as crianças na coleira;
– Não gasta mais dinheiro na Primark;
– Marca encontros na Starbucks e nos pubs;
– Diz palavras como “fab” e “fantastic”;
– Chama alguém de mate e diz cheers ao invés de obrigado;
– Fala “ta-da” ou “toodieloo” ao invés de tchau;
– Não pega fila no cinema;
– Não pensa mais antes de atravessar a rua, ou não olha mais para os “look left” e “look right”;
– Convive bem com os poloneses, mas reclama dos “asians”.
– Compra feijão enlatado;
– Entende sotaques de Liverpool, Manchester, Escócia e Irlanda;
– Passa maquiagem de manhã cedo;
– Vai em praia de pedra;
– Anda de trem;
– Half a pint não faz mais efeito;

… to be continued…