Olhos vermelhos

Os velhos olhos vermelhos enganam sem querer
Parecem claros, frios, distantes,
Não têm nada a perder
Pra que se preocupar?
Por que chorar?
Se amanhã tudo muda de novo
Pra que sofrer se nada é pra sempre?
Pra que correr?
Nada como um dia após dia,
Uma noite, um mês
Os velhos olhos vermelhos voltaram de vez…

 bd9317-001.jpg

Anúncios

Love songs are back agaaaaain…

Esse post é tudo pra quem não tem o que fazer hoje!
Se você tem mais de 25 vai se divertir. Se você tem menos, vai ver o que perdeu!!!

Eu já tô numa fase saudosista-brega há um tempo. Aí entrei no blog da Nu e não resisti. Resolvi voltar no túnel, virar a gaveta no chão e contar meus podres. Que medooooo.
Ao som de “Making love out of nothing at all”, do blog da Nu, eu vou dando as coordenadas para quem estiver aí. Tipo, volte para quase 1990, Época da extinta Rádio Cidade e seu “Love Songs”, que começava à noitinha com aquela música que fica no ouvido até hoje “Love songs are back agaaaaain”. Aí sim, era sessão sala de dentista. E a música que mais tocava era  Endless Love, alguém lembra??? (Hahahahaha)

O mais cômico era quando o locutor fazia a tradução. A música tocava e no intervalo das frases ele traduzia correndo, com aquele inglês tosco. Mas, claro, com a mesma intonação da música e com aquela voz que só locutor de rádio assim tem. E era mais ou menos assim:

My love…. meu amor…. there´s only you in my life… só existe VOCÊ na minha vida…. the only thing that´s right… a ÚNICA coisa certa… my first love… meu PRIMEIRO amor… you´re every breath that I take…. você é CADA respiração minha… you´re every step I make… você é todo passo que EU dou… and Iiiiiiiii…. E eeeeu… I want to share.. all my looooove with you… Eu quero dividir TODO O MEU AMOR – com você…. No one else will do… NINGUÉM!!! Jamais o fará!… And your eyes (your eyes, your eyes)… e seus olhos, seus olhos, SEUS olhos… they tell me how much you care… eles me dizem o quanto você se importa!!!!… Oh yeah… Ah, sim… you will aaaaalways be… você SEMPRE será… my endless looooove… meu amor… SEM FIM…

(hahahaha preciso continuar, sorry!!!!)

Two hearts… dois corações… two hearts that beat as one… dois corações que batem COMO UM!… our lives have just began… nossas vidas… apenas começaram!!!… Foooorever… PARA SEMPRE…. I´ll hold you close in my arms… eu te abraçarei… nos MEUS braços!… I can´t resist your charm… NÃO!! Eu não CONSIGO resistir ao SEU charme!!!!!…. and I, I´ll be a fool for yooooou i´m sure… e eeeeu??? eu serei um BOBO por você, tenho CERTEZA!… And you know I don´t mind, ooooh you know I don´t mind… E você SABE que eu não me importo, OOOOH você sabe que eu NÃO ME IMPORTO!!!!!… cause you…. porque VOCÊ!!… you´ll be the one to meeee… você será A ÚNICA para MIM!!!!… and I know… e EU SEI!!!… I have found in you…. que encontrei… em VOCÊ…. my endless love… meu amor…. sem fim…. And noooooo one can deny… E NINGUÉM PODE NEGAR!!!!…. the looooove I have inside… o amor que eu tenho AQUI DENTRO!!… And I´ll giiiiiiiiiive it all to you… E EU O DAREI TO-DO À VOCÊ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!….. My love, my love…. meu amor, meu amor… my love…. meu…. amor…. my endless love…. meu amor…. sem fim…

(Tipo, e agora parecia que o cara ia chorar…)

Hahahaha não consigo parar de rir!!! Fora “Endless love” tinha aquela da novela Mandala, “Nothing is gonna change my love for you” (… you ought know by now how much I love you, one thing you can be sure of I’ll never ask for more than your love…). Ah!! E outro clássico: “I just called…. to say… I love you… I just called to say how much I ca-a-a-a-are!!!”.
Cara, é tanta música que vem na cabeça… “If you leave me now, you´ll take away the biggest part of me… Uuuuuuuuh no, babe please don´t go!!! Tã-tã-tã-tããã-tã-tã-tã-tã-tããã….” Tá, mas também tinham as nacionais. Bons tempos de Só Pra Contrariar e umas porcariazinhas… O que me lembro bem é Sampa Crew: “Pro-cu-ro alguém com quem possa dividir, essa dor que me corrói e quer me des-truir… eu fui fundo nesse amor, fui sem medo, procuro os motivos sei que não me-re-ço (,,,) hoje resolvi mudar, vou dei-xar… de te amar… hoje resolvi mudar, vou cantaaar… yeahyeah, yeahyeah, yeahyeah, uuuuuuuuuuuuuuuh….”


Obviamente não podemos deixar de citar os reis da época, New Kids On The Block. Pra quem era delinquente como eu, NKOTB. E a música top deles no Love Songs era Please don´t go girl“, com o Joey cantando com aquela vozinha de criança “Tell me you´ll staaaaaaay, never eeever go away…. I need you (I need you),,, I guess I aaaalways will… Giiiiiiiiiiiiiiiiiiiiirl… you´re my best friend – giiiiiiirl – you my love within, I just want you to know… that I will alwaaaaaays love yooooooou…. UUUUUUH BABEEEEEEE… don´t-go-girl… I´m gonna alwaaaaaaays… love-you-girl…”

 

Ainda dá tempo de falar de Polegar… hehehehe… “Dá praaaa mim, o seu amooor, dá pra miiiim, não se preocupe que eu serei um bom rapaaaaaz…” 

 

E Dominó, na época ainda do Afonso Nigro… “Manequiiiim, teu sorriso é um colar de marfim… vou te seguindo… manequim, que nem dá bola pra mim…. manequim, mil carinhas com o queixo na mão… ” O mais engraçado é assistir ao clipe aí no link e reparar no “penteado sexy última moda” que ele fala… Sem contar a dancinha e as caras!! Hahahaha, de se matar de rir! (Se não abrir, o link é este: http://www.youtube.com/watch?v=DXurFXnjj1I)

E aí tinham os bons. Extreme com “More than words”, Poison com “Every rose has its thorn”, Skid Row com “18 and a life”, Guns com “Patience”, All saints, U2, Nirvana e Bon Jovi, claro. E tinha os outros. Ugly Kid Joe e “Everything about you”, Alice in Chains com “I’m the maaaaaan in the box, burieeeed in my shiiit…”, Right said Fred e “I’m too sexy”, Deelight e “Groove is in the heart”, Danger Danger (alguém lembra?),  Ace of Base, Warrant e “Cherry Pie”, etc…

Um clássico dos anos 90. O clipe da abelhinha… Blind Melon e “No rain”… E, a seguir, Deelight e o psicodélico super moderno “Groove is in the heart”!

“How do you say… dee-light…”

Outro inesquecível, Vanilla Ice… Não minha gente pequena, não é Vanilla Sky, é Vanilla Ice mesmo, tipo ice-ice-baby.

Isso ainda me lembra muito Tartarugas Ninja!! Hahahaha!!!
Depois vocês perguntam o porque dos nossos topetes naquela época…

E pra fechar com chave de ouro, um clássico que eu vi na TV esses dias. “Hunting high and low”, inesquecível AHA.

Tá, eu falei um monte e não contei os podres. Os podres vêm junto com aquelas agendas velhas que eu citei aqui uma vez. É minha gente, em 1980/1990 os adolescentes eram retardados, imagina que menina de 13 anos era toda arrumadinha que nem essas que a gente vê em shopping, com silicone e tudo. Na escola tinha que usar uniforme, não dava pra ficar desfilando roupinha.
Moda era camiseta da Fatto, com aquele bichinho estranho com um band-aid na cara. E do tamanho maior possível, bem larga. Depois evoluiu um pouco e todo mundo se robotizou em calças leggings, camiseta Banana Republic com a iguana, brinco dourado de coração e topete Mc Donald´s (dividido no meio, apetrecho conseguido através de horas de bob). Ah, e, claro, tênis de salto, igual ao do açougueiro da esquina. Pelo menos aqui em São Paulo era assim. Não tinha progressiva, a gente não sabia usar maquiagem e a moda era feia. Eu disse, anos 80. Quer moda pior que esta? Ombreiras, moletom, camisetões, botões dourados… um show de horror.
Balada em Sampa era Resumo da Ópera (dentro do Shopping Eldorado), Kíron, PHD, Stravaganza… Meninos tinham que ter topete e usar Ralph Lauren ou Lacoste, e mocassim marrom de sola branca da Side Walk (quaquaquaquaquaqua!!!!!)… E a gente dançava Double You. E um pouco antes da adolescência, os carros dos pais tinham que ter o adesivo do cachorrinho da Ticket´s, se não você não era cool. E ai de quem não tivesse um fru-fru verde limão da Pakalolo.
Era isso minha gente. A gente não sabia muito das coisas, queria ficar falando dos meninos e só. Se desse para beijar na boca, ótimo. Outras coisas seriam lucros incrivelmente grandes. Tudo bem que eu pertencia à esse mundinho, mas tinham outros. Eu também já fui Heavy Metal,  só andava de preto, de coturno e ouvia Sepultura. E tinha uma banda imaginária (na verdade eu sempre quis ter uma banda, aí sonhava com ela, mas ela nunca existiu)….
Férias no Guarujá tinha que levar binóculo e paquerar os gatinhos dos prédios da frente. Todo mundo tinha binóculo. E o resto do dia, depois da praia, ou a gente andava 587 vezes, ida e volta, da Pitangueiras para a Enseada, ou ficava hooooooras sentada na Pitangueiras vendo os caras passarem. Era assim que funcionava. Ou se apaixonava por um surfistinha meia-boca parafinado. Mas só por alguns dias, também.
E nessa época eu gostava de alguns meninos, porque um só não era suficiente. Todos amores platônicos, óbvio. Porque pra que contar? Às vezes rolavam uns telefonemas anônimos, trotes…. nada de celular, o negócio era pager mesmo ou telefone fixo. Internet, o que é isso??? Eu me comunicava por cartas. E era muito bom. CD ainda não era artigo acessível e minha mãe teve que trazer um som com cd player quando foi para Cancun, porque aqui não tinha. Polegar, Dominó, New Kids… era tudo na base da fita-cassete, que se enrolasse a gente tinha um filho!!!!
E o que o “Love songs” teve a ver com isso? Tudo. A gente ouvia em grupo de meninas e cada uma tinha uma vez para a música, era uma coisa organizada. E quem tinha a vez dizia “a próxima música é o que o fulano queria dizer pra mim”… Aí a gente ficava feliz ou arrasada. E nada além acontecia. (Aaaaffff, não acredito que contei isso aqui).

Já disse uma vez aqui… “pobre menina, não tem ninguém”. Ô adolescência medíocre…. hohohohoho.

 

Lula 3.0

Alguém aí ouviu o digníssimo falar em terceiro mandato????
Eu ouvi neste minuto no Jornal da Globo. E saiu da boca do próprio.

E isso aqui foi escrito em Fevereiro, quando tudo ainda era mera especulação:

Eles não podem afirmar que a reeleição indefinida é ditadura são distintas. Existiam eleições no regime militar no Brasil. Existia oposição, inclusive. Em Cuba são realizadas eleições. Ter o Quarto Poder nas mãos é garantia de poder nos países considerados democráticos. Logo, qualquer controle da mídia é vital. Sem a mídia Berlusconni não duraria muito. Que diga a RCTV, canal de oposição a Chávez que pode sair do ar para que a revolução bolivariana prevaleça. É a força do povo desempregado para manter os camaradas nos cargos de confiança. A força do povo miserável para manter ricos que fingem ser pobres no poder. E deixem o homem descansar!Vão tentar convencê-lo que a Venezuela não é aqui. Que Lula não é Hugo Chávez e que o Nosso Guia é contra o terceiro mandato. Ok. Lula também era contra a reeleição e é o atual presidente reeleito. O segundo na “história deste país” e o primeiro presidente que precisou vencer as eleições no segundo turno para se reeleger.

Dizer que um prefeito sem projeção nacional ou senadores desconhecidos do grande público tem as mesmas chances que a estrela do PAC é subestimar a inteligência do leitor. Dizer que Lula não quer o terceiro mandato também. Um argumento fajuto e recorrente é escrever que os avisos são teorias conspiratórias. É uma forma de tirar o crédito de opiniões contrárias a voz oficial. As propagandas do governo estão por toda a parte. Em imagens e textos.

E como distinguir os jornalistas e articulistas que são apoiados pelo governo? Simples. Quem utiliza nos títulos “Fulano diz que…”, “Fulano isso”, “Fulano afirma…” está claramente apoiando ou é ligado a Fulano. Existe a possibilidade de determinado articulista querer agradar a um grupo ou a editoria. Eles se consideram articulistas “centrados”, que escrevem com a razão e suas análises não são superficiais (algumas vezes), mas são totalmente questionáveis.

A Venezuela não é aqui. Ainda.” (E eu colocaria um outro “ainda”, logo em seguida)

(escrito por Leonardo Silvino em Duplipensar)

Medo.


Osso duro de roer

Acabei de voltar do cinema, acho que sou uma das últimas brasileiras a assistir “Tropa de Elite”. Nem vou comentar muito o filme porque já virou assunto redundante de blog.
Na verdade queria firmar aqui o porque de eu ser uma das últimas brasileiras a ver o filme. Porque eu sou contra a pirataria. E pode parecer hipocrisia, mas sou mais ainda contra a pirataria nacional.
Várias vezes me ofereceram o dvd pirata do filme e eu me recuso. Esperei até conseguir ir ao cinema e pagar pelo que estou assistindo, devolver o dinheiro por uma mega produção.
Acho o fim apoiar a pirataria nacional. Não que eu faça apologia à pirataria de outros filmes, temos é que apoiar o cinema nacional para que continue com a qualidade que está, e para apoiar precisamos pagar por ele. Não somente assitir.
Tá certo. Piratas de Hollywood também são criminosos e também sustentam o crime e um sistema marginalizado. Mas, no Brasil, a cultura do cinema deveria ser estimulada, e isso não acontece quando uma entrada chega a custar R$ 22 . Acho sim é que o nosso digníssimo Sr. Ministro da Cultura deveria ter feito alguma coisa à respeito dos preços do cinema há muito tempo. É fácil querer o fim da pirataria. Difícil é fazer um casal ir ao cinema uma única vez por menos de 10% do salário mínimo.
Outro absurdo é a carteirinha de estudante. Acho o fim da picada quem não é estudante ter que bancar quem é – ou não. Sim, porque os preços subiram de um modo que a meia-entrada de hoje é a entrada inteira de antigamente, e inteira é o dobro. Como iludem a gente né! E isso para justificar a venda de meia-entrada, dizem que tem muita gente com carteirinha…
Aí entra o direito de desconto para estudante. Agora querem limitar a idade do desconto. Desculpa, mas estudante é estudante e independe da quantidade de rugas. É tanta apologia à voltar a estudar, mas se tiver mais de 30, nananinanão. Faça o favor de não se dar ao direito de ter carteirinha, estás velho demais para isso, meu amigo. Se tem mais de trinta é bom ter uma notinha de vinte na carteira… É como alguns tipos de curso. Em qualquer lugar do mundo qualquer curso “full time” (com uma determinada carga horária) dá direito à carteirinha ISIC. No Brasil não. Acho um abuso isso. Quando vim da Inglaterra com a minha carteirinha inglesa, da ISIC, igual à de todo mundo aqui, não pude pagar meia em lugar nenhum. Simplesmente porque o meu curso era de idiomas e, aqui no Brasil quem estuda idioma não é estudante, tá? É o fim.
Agora pensem bem. O Cinemark está nessa promoção de R$ 6 a inteira até amanhã. Vocês acham que eles acordaram de bom humor e resolveram bancar os direitos dos filmes? Claro que não, os seis reais pagam por isso. Agora quase 400% deste valor é simplesmente lucro. Sabem quanto um combo de pipoca pequena, refrigerante e sonho de valsa saiu hoje no Cinemark? R$ 3,50! E, mais uma vez, óbvio que eles não estão tendo prejuízo. Sabe quanto custa um saco de pipoca grande em dia normal? R$ 10. É por isso que eu vou em dias de promoção assim, e aproveito o quanto posso. Olha a margem de lucro dos caras, olha o desrespeito ao direito de Cultura.
Mas voltando ao “Tropa de Elite”, tenho algumas considerações. Não vou ficar aqui vendendo meu peixe ou não para o Capitão Nascimento. Concordo que se toda a polícia tivesse o treinamento do BOPE as coisas seriam diferentes. E concordo, acima de tudo, que pagando mal não dá pra ter honestidade em lugar nenhum do mundo.
Digo que saí do cinema com dor no peito, com vontade de chorar. Não que tudo seja uma uma verdade que ninguém conhecia, mas é diferente conversar à respeito e ver tudo exposto ali, nu e cru. É decepcionante viver num país como o nosso, é triste, é humilhante. Deve ser mais humilhante ainda querer ser policial correto num sistema completamente perdido. Tá tudo tão errado, e parece que a bola de neve só aumenta. Parece que nada melhora. Eu, pra ser bem sincera, não aguento mais noticiário. Menina presa com homens, advogado assassinado por delegado, leite do governo sendo vendido em padaria, drag-queen fazendo show em Assembléia…. Não dá mais. Não dá pra culpar só a globalização pela expansão das notícias, as notícias ruins estão aumentando sim. É fato.
As coisas realmente parecem ter fugido do controle. E, impressionante, mas a corrupção ficou banalizada, completamente banalizada desde o mensalão. Virou festa da mãe Joana e ninguém mais tá nem aí. Se alguém viu essa performance da drag de fio dental em plena Assembléia, sabe do que tô falando. E se alguém viu o próprio camarada que organizou isso dizer que vai fazer um projeto para que deputados possam entrar na Assembléia de bermuda e chinelo, sabe que a política virou palhaçada.
Tudo bem que essas coisas são assim desde 1500. Só que agora a corrupção e a falta de respeito são esculhambadas, pra quem quiser ver. E que se dane quem estiver vendo. Me desculpe Senhor “não vi nada”, mas toda essa escancaração tem uma estranha coincidência com o dia em que você virou vidraça, e não mais pedra.
Misturei um monte de assuntos mas desabafei.

Quantas crianças a gente vai ter que perder para o tráfico pra playboy enrolar baseado?

Pense, classe média, pense. Capitão Nascimento tem total razão: somos nós quem sustenta essa merda. Lembre disso quando fumar um beck ou comprar um pirata.

Pipoquinha

Atenção!!

O CINEMARK está em promoção esta semana!
Até QUINTA-FEIRA, entradas a R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia) – para qualquer filme, qualquer horário!!!

Aproveitemos!!!!

Fazer o bem sem olhar a quem

Eu sempre procuro ajudar o próximo, fazer qualquer coisa que melhore um pouco a vida de alguém. E faço isso simplesmente por me fazer muito bem.
As minhas boas ações não se resumem à esta época do ano, mas eu sempre dou uma espremidinha a mais no Natal, principalmente quando tenho grana sobrando. O ano passado, mesmo sem estar trabalhando, mandei mais de R$ 100 em presentes para um vilarejo carente no Ceará, onde uma amiga minha faz um projeto lindo de Natal. Comprei tudo nessas lojas de “a partir de R$1,99”. Minha irmã gastou mais R$ 100. E quando minha amiga mandou as fotos das crianças com os brinquedos que eu tinha comprado, tudo se resumiu ali. Em fazer a diferença, principalmente numa época que é tão mágica para as crianças. Numa época de sonhos, esperança, e crenças que nunca mais voltarão quando elas se tornarem adultos. Na verdade, a única coisa que entenderão mais tarde é que não existem somente pessoas ruins neste mundo.
Eu passei o ano todo doando R$ 10 por mês para um garotinho de 2 anos com AIDS, o Gustavo. Doei através do CCI, uma Ong que cuida de crianças com o vírus. E sei que meu dinheiro pode ter sido  pouco, mas fez muita diferença na vida do Gustavo. Deu para comprar o Sustagem dele todo mês.
Além disso, já trabalhei em várias ocasiões para o VIVA, uma associação linda que faz eventos para as crianças doentes em hospitais de São Paulo, além de ter um grupo de voluntários de Contadores de História. Eu queria ser Contadora, mas precisava de um curso de dois anos, parece. A coisa é séria. Então, participei como voluntária de algumas festas de Natal e Dia das Crianças. Fiquei na barraca de pintura de rostos no Hospital Emílio Ribas, pintando os rostinhos cheio de esperança de crianças que passavam a vida lá. Eu ficava o dia todo sentada fazendo isso, chegava em casa quebrada, com dor no corpo todo. Mas valia muito a pena.
Fora isso, já viajei quilômetros para fazer festas de Natal em orfanatos. Sem dizer que doar sangue é uma obrigação, já que meu sangue é O positivo – doador universal. Uma idéia muito legal que eu, minha irmã e minha mãe tivemos há muitos e muitos anos: compramos panetones e brinquedinhos e deixamos no carro. Perto do Natal, quando alguém me pede esmola, adulto ou criança, eu dou um panetone ou um brinquedo. E a noite de Natal é a mais importante. Quando eu era pequena, a gente colocava os brinquedos que não queria mais no carro e, ao ir jantar com a família, distribuíamos nossos brinquedos nos faróis. É lindo fazer isso na noite de Natal.
Mas quero falar hoje é de uma iniciativa muito bonita. Recebi um email com esta mensagem e tô indo esta semana fazer a minha parte. Acho que se pudermos fazer a felicidade de uma criança, que seja, já é muita coisa.
Os Correios recebem todo ano cerca de 17 milhões de cartinhas de crianças pobres para o Papai Noel, e o pedido vai desde bicicleta até panetone e blusa de frio para a avó. Nós podemos fazer a diferença: ir a qualquer agência, solicitar quantas cartas quiser e entregar o presente nos Correios até o dia 20 de Dezembro. Eles entregam sem cobrar o frete.
Que tal lançarmos esta idéia? Alguns voluntários já o fazem, acho que chegou a nossa vez!

Na vida, a gente passa por 3 fases.
A primeira, quando acreditamos no Papai Noel. 
A segunda, quando deixamos de acreditar.
E a terceira, quando nos tornamos Papai Noel.

PS: Seja voluntário o ano todo. Ficam aí algumas dicas de Ongs para as quais eu contribuo. Entre neste SITE e descubra uma Ong que precisa de você!! E, como sempre digo, todo voluntário, tem obrigação de – antes de qualquer coisa – tomar a atitude mais simples: doar sangue.

Olhinhos de bicho

Tenho um problema sério com animais. Sou extremamente apaixonada por qualquer bicho (excluindo uma boa parte de insetos). Sou fraca, tenho coração mole, e tenho certeza que, se tivesse uma casa grande, seria daquelas que saem pegando animal abandonado na rua…
Ontem assisti ao Globo Repórter  e, não dá, eu não posso ver cenas de maltrato que eu choro compulsivamente. Ontem foi de arrepiar ver um cara enfiando uma faca na cabeça de uma tartaruga, ver aquele Pintor Verdadeiro (um dos pássaros mais lindos que existem) agonizar até a morte por falta de ar, comida e água.
Outro dia vi um cachorrinho na rua, de coleira, todo estrupiado e, cara, se vocês olhassem nos olhinhos dele… Ele era puro desespero, com certeza estava perdido. E eu não pude fazer nada porque estava dirigindo e meu cachorro insandecido estava comigo. Mas eu chorei, chorei, até chegar em casa. E rezei para São Francisco de Assis para colocar um anjo no caminho dele.
Eu sou assim, me bate um desespero quando vejo cachorro ou gato atravessando a rua. Um dia, na praia, tinha um carro na minha frente com um cocker na janela. O trânsito estava fluindo e – juro – o cocker pulou a janela e foi parar no meio da avenida – com o carro andando!!! Eu virei meu carro de lado, parei o trânsito todo e quase tive um enfarte até tirarem aquele cocker do meio da rua…. Hedgehog então (os ouriços terrestres da Inglaterra) eu só vi morto e atropelado. Mas tudo isso não passa de acidente. O que me revolta é o tráfico de animais, o maltrato, a crueldade. Eu não entendo como uma pessoa pode olhar nos olhos imensamente expressivos de um bicho e lhes fazer mal. Eu abomino o tráfico de animais tanto quanto o de crianças.
O que eu não entendo é que neguinho que mata a família inteira de chimpanzé pra roubar filhote, ou rouba arara-azul – que é monogâmica, passa pela delegacia, recebe uma multa – que nem é paga – e fica por isso mesmo. Meeeu, os caras fazem rapel pra roubar ovo de arara-azul!!!! Isso eu não engulo… Tráfico é tráfico. O que é ilegal é ilegal e pronto. Se eu sair por aí vendendo cocaína eu vou ser presa e vou responder à Justiça. Agora se eu sair por aí vendendo filhote de pássaro silvestre, não acontece nada. Tem tanta coisa errada neste país que desanima até reclamar.

pintor2.jpg
Pintor-verdadeiro, um dos tesouros deste país.

Aquecimento global e a dengue

BLOGAGEM COLETIVA para a prevenção e conscientização da DENGUE.
Depois do assunto sério, tem um conto embaixo…

 

selodengue400x200.jpg

Dia de blogagem coletiva. E nada mais sério para falar do que o combate à Dengue. Parece redundante, mas ainda vivemos à espreita desta epidemia. Incrível como as pessoas ainda não levam o assunto a sério…

Mais do que falar sobre a prevenção contra a dengue, acho importante ressaltar os riscos para o futuro. As previsões para a equação “aquecimento global + mosquitos transmissores de doenças” são alarmantes. Por isso, mais do que em qualquer outra época das nossas vidas, PREVENIR É ESSENCIAL. Principalmente com a quantidade de chuvas que temos tido.  

As alterações climáticas, como as chuvas mais intensas e persistentes na América do Sul, frutos do aquecimento global, aumentam o risco futuro de epidemias causadas por mosquitos. O aumento da temperatura global influi diretamente na expansão da dengue ao alterar a freqüência das chuvas.  Na Bolívia, por exemplo, imensas lagoas surgiram nos últimos três meses resultantes das chuvas na Amazônia. E estas lagoas têm alimentado a reprodução do mosquito transmissor da dengue.

O aquecimento global acelera o desenvolvimento do vírus, amplia a zona de influência do mosquito e sua capacidade de adaptar-se a temperaturas mais frias. Por isso é importante manter a prevenção, mesmo quando o termômetro indicar apenas 15 graus.

Existem previsões de que o planeta vai ter sua temperatura elevada em 4 graus centígrados nos próximos cinquenta anos. Isso pode parecer não tão amedrontador para nós, que estamos acostumados com o calor, mas para muitas espécies quatro graus significarão a extinção. Além disso, os países considerados “temperados”, com clima mais amenos, sofrerão o aquecimento, o que ajudará a propagação de mosquitos transmissores de doenças como a dengue.

O mais assustador é que em alguns países a temperatura não chegará a menos de 15 graus, não atingindo o frio suficiente que  mataria os mosquitos e suas larvas. Desse modo, com a temperatura sempre favorável, não haverá mais uma estação específica para os surtos de dengue. Os mosquitos que deveriam morrer no inverno, sobreviverão e procriarão para o próximo verão, em números cada vez maiores. E o aumento de temperatura no mundo fará com que a dengue apareça em países nunca antes cogitados.

No Brasil, foram registrados 79.732 mil casos entre janeiro e fevereiro deste ano, quase 30% a mais do que em igual período de 2006. Metade deles ocorreu no Mato Grosso do Sul, que faz limite com a Bolívia e o Paraguai. A variante hemorrágica afetou 55 pessoas, das quais seis morreram.

Uruguai e Canadá são os únicos países da América livres da dengue autóctone. “Os mosquitos transmissores são extremamente sensíveis à mudança climática”, disse no começo do mês o ministro argentino da Saúde, Ginés González García. “Os ventos, a temperatura e o regime pluvial são fatores decisivos para a sua propagação”, advertiu em uma viagem à fronteira com o Paraguai. O médico Alfredo Siejo, encarregado da unidade de dengue do Hospital Muniz, de Buenos Aires, especializado em enfermidades infecciosas, destacou que os focos de dengue coincidem com o momento de maior intensidade do El Niño, fenômeno climático periódico associado a flutuações da pressão atmosférica e da temperatura da superfície do Oceano Pacífico, que este ano afetou principalmente a Bolívia.

Desde a década de 70, na medida em que aumentava a temperatura global devido à mudança climática, as tempestades, chuvas e outros fenômenos extremos associados ao El Niño se tornaram mais freqüentes, intensos e persistentes. Existe risco de as alterações climáticas ampliarem a distribuição geográfica de doenças como dengue, malária, leishmaniose, mal de Chagas, e, ainda, que se prolongue a estação na qual os agentes transmissores dessas doenças se reproduzem.

Vale lembrar algumas coisas quase nunca citadas na prevenção:

– Quando descongelar a geladeira que não estiver sendo usada, seque-a por dentro com um pano. Eu já vi geladeira desligada ser berçário de mosquito!
– Vasos sanitários não usados também têm água parada!!! Se houver algum, mantenha sempre fechado e dê descarga regularmente.
– Água da chuva também acumula em poças que, se não secarem por um bom tempo, darão um ótimo jardim-da-infância de mosquitos! Jogue areia ou seque com um rodo.

A velha dica:

Preste atenção em qualquer coisa que possa acumular água parada. A natureza por si só já cria inúmeros locais para os mosquitos colocarem seus ovos: bromélias, lagoas, poças, troncos de árvore, etc. Temos que fazer a nossa parte e exterminar os possíveis berçários causados por nós!! Por isso, de olho nas garrafas, vasos, pneus, lonas, caixas d´água e qualquer situação que possa acumular água, mesmo no frio!!!!

* Fonte: http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=26773