Brasil e a epidemia vira-lata

Brasil e sua eterna síndrome de vira-lata. Se acha patriota quem odeia o país e não curte futebol. Se acha patriota quem curte futebol, mas quer morar nos “States”. Se acha patriota quem grita alto o hino nacional com a mão no peito e vaia o hino alheio, quem queima bandeira, quem destrói patrimônio público pedindo por melhor infraestrutura.
Reclama que tudo está errado no país mas sonega impostos, emite nota fria, desrespeita o próximo, fura fila, dá um jeitinho e não sabe o significado de cidadania ou civilidade. Acha que tudo é mais bonito em qualquer outro lugar do mundo porque é incapaz de ter discernimento. É incapaz de contestar suas ideologias, seu posicionamento político e social, é incapaz de analisar fatos sem deixar de lado o orgulhinho ferido.
Tudo vira discussão ofensiva no Brasil, a não ser que concordem com a sua opinião – quem concorda é brother, quem discorda é burro, meu deus, como pode ser tão burro.
O Brasil sofre de uma epidemia vira-lata, síndrome “manda-chuva”: gato de rua que se acha esperto, que é melhor e mais inteligente que qualquer brasileiro, mas que se curva por qualquer coisa gringa. Tudo é melhor quando se cruza a fronteira. Porque o Brasil que não é igual ao meu umbigo é uma bela bosta e todo Brasileiro é um baita de um idiota burro se não for exatamente moldado à minha imagem e semelhança nórdica.
Anúncios