Eu amo você

Eu amo você.
Em cada detalhe do teu rosto, pela curva do teu pescoço, dentro dos teus olhos de água.
Em cada lábio rasgado de lado, em cada som falado na emancipação das tuas mágoas.
Em cada gesto de afeto, meu amor procurando teto dentro do teu peito morno. Chama.
Em cada diálogo de olhar, em cada suor escorrido no lado direito da tua cama.
Eu amo você em época de carnaval, até quando acabar o sol nos dias cinzas de inverno.
Nas minhas dores mais profundas, no vazio da noite imunda, no teu abraço quase eterno.
Que és apenas o que nunca quis, que tens o lado errado do meu certo e os meus maiores clichês.
Que eu passaria dias beijando teus sorrisos, confiando o amor no teu espaço fechado.
Eu amo você.

Expectativas

O problema é quando desperdiçamos energia onde não devíamos. É como um pequeno buraco negro vazando alguma coisa de dentro de você. Sente esvair pelos dedos? Sente a energia sugada a cada minuto? Sente seu foco completamente distorcido?
É tudo uma questão de foco, um exercício prático de inverter prioridades. É preciso parar de esperar, e talvez essa seja a missão mais impossível do ser humano. Como não esperar nada se ao deixarmos de construir expectativas, a vida vegeta, a emoção some, o coração desacelera? Impossível ter adrenalina no corpo sem  expectativas. Quero as pernas bambas, o coração acelerado, quero o suor correndo no corpo e pingando na esquina do queixo. Quero a veia quente, os cinco sentidos ardendo, quero inventar cenários e diálogos dentro de mim.
Talvez algumas pessoas apenas adormeçam em um transe quase budista de focar a vida no momento presente e, aprendendo a desviar de passado e futuro, consigam – talvez – se concentrar no que existe agora.
Esperar é uma projeção, seja ela de um passado que você gostaria de reviver ou de um futuro que só existe na sua cabeça. Não projete, não espere, não crie. Não fantasie, não sonhe, não peça, não sinta, não lute, não vá atrás do que acredita. Não acredite.
Ah, então ensina-me a não esperar nada de alguém, porque de situações é possível que eu até consiga. Mas não sei viver pela metade, abdicar da emoção, da intensidade, não sei acreditar e não correr atrás, não sei projetar sem realizar. Talvez isso seja um defeito, ou talvez a minha melhor qualidade. Só sei que é essência, é alma, é intrínseco. É aquele ímpeto de querer viver o que se acredita, custe o que custar, desde que não machuque os outros. Ainda que machuque a nós mesmos.
Mergulhar de cabeça nas pessoas é entregar-se exposto e cru, é colocar o coração vivo, pulsando, na mão de alguém e esperar que cuide. É aceitar todos os riscos de mais um tombo e ainda assim escolher sentir.

 

Teu amor

Teus olhos cinzas guardam todo o amor do mundo. Neles você é menino. Sinto tua fragilidade, tuas duvidas, teus olhos respiram para que os meus continuem vivos. Se o segredo da vida é o amor, sou pura benção. E não pense que não tenho gratidão por cada piscar teu no canto esquerdo do sofá. Teu amor mora dentro dos pequenos gestos mais doces que já conheci.
Teus olhos cinzas guardam todo o melhor amor mundo (e o mapa da Austrália também).

Para você, com carinho

É claro que eu sinto saudade. Volta e meia alguma coisa me lembra você, nós dois, toda essa história mal contada que inventamos. Aquele amor quase adolescente, de pele, de intelecto, de sorriso. Claro que sinto a tua falta nos meus dias, dos quase mil dias que dividimos, das mil horas que experimentamos.
Você sempre será meu amor doído, impossível, aquele que desistimos sem ao menos tentar. Você sempre será um buraco vazio, um coração acelerado, a vontade de ter ido um pouco mais além e não ter tido coragem. E não ter tido futuro. Você me convenceu várias vezes de que não daríamos certo enquanto engolia suas verdades. Você me mostrou o quanto não queria remar mais o barco furado que construímos juntos, porque a minha bagagem era pesada demais. Algumas entrelinhas eu tive a sensibilidade de perceber, ou de me iludir, mas quando não há certeza, a ilusão aquece. Que talvez você tenha me amado, e muito. Que talvez o fardo de não existirmos tenha sido pesado demais. Que talvez continuar estivesse doendo mais em você do que em mim.
Quantas vezes senti um nó na sua garganta que não me disse nada que teus olhos sussurravam. Quantas vezes quis ouvir de você o que era implícito na nossa história, porque eu precisava vivo, eu precisava pulsando em mim, marcando a minha vida com as unhas.
Talvez minhas expectativas realmente tenham sido excessivas. Eu te queria como uma história bonita, eu tinha um enredo todo para você na minha vida. Eu construí começo, meio e fim. E o fim, te juro, era bem diferente do que é hoje. Queria você por perto.
Hoje eu olho tuas fotos e meu coração não acelera mais. Vejo alguém que resolveu tomar outro rumo para, quem sabe, não sofrer mais. Desculpa, ainda continuo roteirizando tudo o que não me disse, prefiro preservar a nossa história. Prefiro acreditar que essas portas fechadas, esses socos na boca do estômago, tenham sido todos eles uma tentativa de fugir do meu amor apenas por ser grande. Quanta tolice a gente inventa para ignorar a dor.
Olhar teus olhos de longe me dói um pouco. Saber que está feliz é um alívio e uma certa tortura. Já não bato o coração da mesma forma, já não tenho mais a esperança seca de ter algo de volta. Tudo muda. Nada nessa vida é eterno, muito menos os relacionamentos. O amor, por outro lado, pode ser. Ainda te carrego aqui dentro, amor doído, fardo leve. Ainda sinto falta, uma saudade breve e aguda, uma saudade gelada que bate na ponta do coração em ventos de fim de tarde.
Te vejo do outro lado dessa bifurcação. Teu caminho é tão cheio de possibilidades quanto o meu, existe muito mais mágica quando estamos separados. Você me olha e me sorri, eu estou sorrindo de volta. Você acena um adeus de longe, com a certeza de que sempre estaremos perto. Existe uma ligação muito maior que tudo isso, mas nossos caminhos são separados.
Desejo que esteja muito bem, que seja sempre fiel aos teus sentimentos e não te minta. Que tua vida esteja morna e que exista paz. E que em algum lugar do seu coração ainda tenha uma prateleira com o nosso roteiro empoeirado, algumas lembranças minhas, guardadas com o carinho de um suspiro, de uma saudade. Te guardo com carinho.
Nem sempre a vida é um desafio para ir além. Às vezes é preciso apenas alguém para saber parar.