Sobre o amor

Às vezes eu tenho uma única certeza: o amor.

Foi só eu soltar essa frase no twitter ontem pra começar a chover um monte de resposta a respeito do assunto.
Comecei o dia assistindo à alguns episódios antigos de Sex and the City, e isso serviu como uma bela e gorda ficha caindo em mim. O mundo continua buscando o amor como uma intocável pedra preciosa em cima da montanha mais alta. Como se para ter amor fosse preciso batalhar muito, vencer obstáculos e se machucar.
Amor não é recompensa. O amor vem pra quem acredita nele, como todas as outras crenças da vida. Se você não acredita, ele não existe.
Eu passei anos da minha vida em busca do príncipe encantado, o cara, o Mr. One, aquele com quem eu fosse passar o resto da minha vida com a certeza inabalável de que ainda quero o resto da minha vida com ele. E eu aprendi, depois de 7 anos muito conturbadinhos: príncipe encantado é ficção e deveria ser proibido nas histórias infantis. Somos todos seres humanos que machucam, decepcionam, se machucam e se decepcionam.
A não ser que você tenha um caso com um amigo imaginário, príncipes não existem. O que existe são meninos (porque todos os homens são meninos), com muito amor pra dar, mas também cheios de medos, traumas, cicatrizes  – meninos incrédulos no amor.
E meninas também. Muitas.

Mas há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.  (Clarice Lispector)

Recebi tantas mensagens ontem: “O amor é minha única dúvida”. E foi aí que entendi o porque dessa busca incessante pelo intocável amor. A gente espera demais dele. A gente acha que o amor virá pra transformar as nossas vidas, preencher nossos corações com um calor eterno, deixar-nos cheios de certezas. E eu garanto pra vocês, o amor também traz muitas dúvidas.
Eu já disse aqui uma vez, amor e paixão são coisas completamente diferentes. Paixão é dopamina, é vício. Amor é ocitocina, é calma. Antes de tudo, há de ser definido o que você está buscando.
É claro que todo amor, geralmente, começa com um paixão, avassaladora ou não. Mas as pernas trêmulas, o frio na barriga, as noites de insônia, tudo isso tem um dia pra acalmar. E então surge o amor. O respeito. A certeza de que você ama alguém, independentemente de seus defeitos. E o mais importante: independente de estarem juntos ou não.
Isso é amor. Um sentimento que preenche, mas não te salva. É o que te faz soltar e ter a certeza de que se amam, apesar de tudo. Não é paixão, não é necessidade. É companheirismo, fidelidade, amizade. Principalmente amizade.
Por isso que eu digo que muita gente está em uma busca perdida pelo amor. Porque o amor não é paixão. O maior amor do mundo vem em outras formas. Pra mim, amor é sentir a respiração do meu cachorro quando ele deita na minha barriga e encosta o fucinho no meu rosto. Isso é o amor mais lindo.
Amor é um amigo te telefonar no meio do dia, a quilômetros de distância, pra saber se você está bem. É a tua avó fazer aquele bolo de fubá que você ama só porque você irá visitá-la na quinta-feira. Amor é uma partida de cartas com a tua família, uma panela de brigadeiro dividida.
O amor não cria expectativa. Ele é a certeza.
Amor vem em todas as formas. Formas não-humanas. Um rabinho balançando com a maior felicidade do mundo quando você chega em casa. Formas humanas. É um sorriso aberto e um abraço apertado de uma criança que queria te encontrar.
Pra mim, amor não é uma vida apaixonada. Amor é ele ir à noite me encontrar no centro pra não me deixar voltar sozinha pra casa.
Amor são pequenos gestos. É a certeza de que alguém está ali por você, não importa a situação. Incondicionalmente.
Por isso aquele velho ditado, case-se com quem você gosta de conversar. No final, é a única coisa que fica.
Nada mais sábio que isso. A paixão sempre morre aos poucos. O amor fica. Se fica, é amor. Se é amor, fica. Não há lei mais exata do que essa.
Agora, acredite nele. Busque-o, mas não se desespere. E não espere demais dele, não crie expectativas. O amor existe sim. E acontece a toda hora, quando você menos esperar. Só não acredite em príncipe encantado.

Leia também: Sobre casamento, amor e paixão

Anúncios

Por que Paris?

– Por que você adora tanto Paris?
– Você quer motivos?
– Sim.
– Enumerados?
– Sim.
– Por sua conta o risco.

1. Porque Paris é, sem dúvidas, uma das cidades mais lindas do mundo.
2. Ver a torre Eiffel, em qualquer cantinho do olho, de dia e à noite é indescritível.
3. Só Paris tem Saint-Germain Des Prés, o bairro mais descolado, bacana e intrigante que existe.
4. Dá pra comprar todos os cosméticos,  maquiagem e perfumes que você sempre quis por um preço razoável.
5. É lá que fica o Centre Pompidou. E o restaurante do último andar tem uma das melhores vistas da cidade.
6. Só lá se pode assistir ao pôr do sol de Montmartre, num fim de semana à tarde (experiência impagável).
7. Avenue Montaigne é lá.
8. É na Catedral de Notredamme que você verá as rosáceas mais bonitas que já viu (e uma das arquiteturas, também).
9. As pessoas são chiques, elegantes, lindas de morrer e não fedem.
10. Só em Paris dá pra caminhar pelos Jardin des Tuileries e o Jardin du Luxembourg, que ficam especialmente maravilhosos no Outono.
11. Museu D´Orsay. Dispensa comentários.
12. Em Paris você pode tomar um café no Café de Flore ou no Les Deux Magots, onde gente como Sartre, Simone de Beauvoir, Picasso, entre outros, discutiram o nascimento do Existencialismo, Dadaismo, Surrealismo e tantos outros movimentos.
13. Paris tem a Place de La Concorde, que termina na Igreja de Madeleine (maravilhosa) e ostenta o Hotel du Crillon.
14. Só lá você poderá ir de verdade às ruazinhas de Marais. E descobrirá que se fosse pobre de Marais (pobre de “marré”), seria um pobre muito feliz.
15. Tem o rio Sena cortando lindamente a cidade.
16. O Louvre. Dispensa comentários. De novo.
17. O dia em que vir a Université Sorbonne, decorada com o Pantheon de fundo, vai querer ter nascido francês pra estudar lá.
18. Paris tem Sephoras pra ebulir qualquer estrogênio consumista.
19. Caminhar pela longa e reta Champs-Élysées, com o Arco do Triunfo sempre imponente ao fundo é uma delícia.
20. Colocar os pés na Praça da Bastilha, marco da revolução francesa, é só lá.
21. Só em Paris tem a Place Vendôme, com o famoso Hotel Ritz (vale a pena entrar) e a lindinha Place des Vosges, onde tem a casa de Victor Hugo (também vale a pena entrar).
22. Só Paris tem a verdadeira Igreja da Nossa Senhora da Medalha.
22. Só em Paris você come macarons de pistache (é o melhor) da melhor doceria do mundo, Ladurée.
23. Só Paris tem a padaria mais famosa do mundo, com seus pães divinos e carésimos: Pôlaine.
24. Só em Saint-Germain tem a La Hune, livraria mais bacana que já vi.
25. Só Saint-Germain tem a St. Lucia, melhor cantina italiana que já fui (irônico, né, mas é verdade).
26. É lá que tem Galeries Lafayette, Colette, Printemps, Monoprix, Le Bon Marché.
37. Ou Cartier, Chanel, Hermés, Jean Paul Gaultier, Louis Vuitton, Dior, Baccarat, Christian Louboutin, etc, etc, etc.
39. Só lá dá pra andar de Bateaux Mouches no rio Sena.
40. Paris tem o Opéra mais bonito, as esquinas mais bonitas, a arquitetura mais envolvente, o povo mais elegante.
41. Só Paris exala o melhor da cultura, moda, gastronomia… e tudo junto, numa coisa só.

E a cada dez minutos eu soltava outro motivo enumerado. Ainda tem um monte, poderia passar o dia falando. Eu amo Paris.

Considerações sobre a Inglaterra…

Especial para quem mora desses lados da Terra, ou para quem quiser se inteirar com a vida por aqui…

Você percebe que está definitivamente morando na Inglaterra quando:

– Coloca vinagre na batata frita;
– Sabe que crisps, chips e fries são coisas completamente diferentes;
– Não reclama mais do tempo;
– Conhece programas como Blackadder, Fawlty Towers e Red Dwarf… e morre de rir com eles;
– Já comeu sheppard´s pie ou cottage pie;
– Entende perfeitamente o humor britânico, acha fantástico e engraçadíssimo;
– Acompanha Eastenders, Hollywoaks ou Coronation Street, ou pelo menos sabe o que são;
– Talvez não saiba o nome da linha do metrô de Londres, mas sabe chegar lá direitinho sem olhar no mapa;
– Vai aos festivais;
– Faz picnic quando chega o verão e toma sol no parque (de roupa);
– Anda na neve de guarda-chuva;
– Assiste a Britain´s got talent e Xfactor;
– Não fala com os seus vizinhos, ou melhor, nem sabe quem são;
– Não dá mais bom dia na rua;
– Controla melhor os sorrisos para “estranhos”;
– Já entende inglês com sotaque “asian”;
– Sabe onde é a Poundland e a 99p store;
– Come weetabix, shreddies ou porridge;
– Compra crisps salt and vinegar;
– Sente falta de banheira quando não tem, mesmo se você nunca teve uma no Brasil;
– Pode odiar (como eu), mas sabe o que é salad cream e marmite;
– Continua não vendo sentido nas propagandas;
– Come um roast dinner aos domingos de vez em quando;
– Não cumprimenta mais ninguém com beijo, no mááááximo um aperto de mão e olhe lá…
– Usa mais sua  bicicleta do que quando era criança;
– Adora yorkshire pudding;
– Não se incomoda mais com as crianças vestidas de gravata e sapatos para a escola;
– Não se choca com o “crime da semana “, geralmente psyco e assustador;
– Assiste Street Wars e conhece os policiais da sua cidade (os meus são Pat e Carl);
– Já se acostumou com as teias de aranha nas janelas, corvos e megpies;
– Tem cheddar na geladeira;
– Não tira mais fotos de patos;
– Sonha em inglês;
– Toma “tea” no tea break do trabalho, ou na escola. E com leite.
– Toma suco de laranja Tropicana e acha ótimo;
– Faz natação em piscina pública ou frequenta a academia da prefeitura;
– Põe a “kettle on” quando chega alguém em casa (chaleira elétrica);
– Um fry-up já não é mais coisa de outro mundo;
– Já não se espanta com as crianças na coleira;
– Não gasta mais dinheiro na Primark;
– Marca encontros na Starbucks e nos pubs;
– Diz palavras como “fab” e “fantastic”;
– Chama alguém de mate e diz cheers ao invés de obrigado;
– Fala “ta-da” ou “toodieloo” ao invés de tchau;
– Não pega fila no cinema;
– Não pensa mais antes de atravessar a rua, ou não olha mais para os “look left” e “look right”;
– Convive bem com os poloneses, mas reclama dos “asians”.
– Compra feijão enlatado;
– Entende sotaques de Liverpool, Manchester, Escócia e Irlanda;
– Passa maquiagem de manhã cedo;
– Vai em praia de pedra;
– Anda de trem;
– Half a pint não faz mais efeito;

… to be continued…

Algumas considerações sobre morar perto da Rainha…

Charity

Esse país aqui é viciado em caridade. Tem caridade pra tudo, dia do nariz vermelho, dia das calças erradas, dia do esporte, vários eventos voltados para levantar fundos para as associações. Eu acho ótimo, me sinto às vezes persuadida e corrompida em doar os “only 2 pounds” por semana pra salvar os gatos cegos da Malásia.
Na verdade vira e mexe eu choro com algum anúncio deles. Eles apelam, apelam até você encher os olhos de lágrima (ou no meu caso, soluçar mesmo). É dois pounds por semana pra salvar as crianças que sofrem abuso doméstico, um pound por semana pra ajudar os cachorros que passaram por maus tratos, mais libra para as pesquisas de câncer, para as crianças cegas, para a construção de poços artesianos na África, para garantir água limpa pras crianças na Índia… enfim. Até o dia que vi um que eu quase morri de tanto chorar e depois me liguei… meeeeu, Deus, até onde isso vai???????? Era pra salvar os burros. Sim, os burros, jumentinhos que ficam no deserto carregando carga nas costas, sem água, morrem de sede, à Deus dará. Mostraram o burrinho cheio de feridas nas costas, nas patas, em estado de inanição, apanhando… enfim. O David chegou em casa e eu estava aos prantos. E ele querendo saber o que foi. Eu desembestei a falar do burro, das cicatrizes, dos maus tratos, o burro com câncer que apanha da mãe, do poço artesiano no deserto pra dar água pro burro, do cachorro abandonado pra fazer companhia pro burro e por aí foi… Se eu continuar assim vou é ficar pobre.

Artigos definidos

Tem uma coisa aqui na Inglaterra que eu acho muito interessante. Bom, todo mundo sabe que aqui não existe artigo definido… no inglês não tem “o” e “a” pra gente dar um pintinho ou uma xaninha pra coisa, seja bicho ou mesa. E não é que – MESMO ASSIM – eles usam as porcarias e me confundem até???? Pois é… carro pra britânico é SHE. She por que???? Não sei. Poderia pensar “she” por causa de “machine”, mas quem foi que disse que machine é feminino??? Máquina, pra gente é. Pra eles não existe. Mas o carro – e o barco – continuam sendo substantivos femininos. Planta é HE, árvore é HE, até flor é HE!!!!!!! Não pode!!!!!! Flor é mulher!!!!!!
Bicho pro David é tudo HE. A aranha (spider) é ELE. Eu já disse que não, que aranha é ELA. A pomba (pigeon) é ELE. Não!!! É A pombA!!! Aí a gente geralmente concorda com alguns, tipo… tipo… tipo… O esquilo (squirrel), o hedgehog (ouriço)… aí vem ele do além e chama o sapo de SHE. Meu…. isso me dá um trabalho… não era mais fácil os caras terem artigos??????

Verão inglês

Oficialmente, o verão tá aqui. Na prática, pra brasileiro isso ainda é piada. Não vou dizer que aqui não esquenta, mentira, faz até 35ºC porque eu já vi. E fica quente pra caramba…. Mas verão aqui, meus amigos, não é uma estação… é dia!!! Tipo, fez 28ºC??? Pára tudo, pega o carro e se manda pra praia pra ainda dar tempo de pegar um solzinho??? Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje, aqui os dias quentes duram um dia mesmo, e só. Tipo, terça feira fez 28 graus. Dia lindo, sol, eu tomei sol de biquini na grama da universidade (para espanto do povo), ativei umas melaninas hibernadas e deu. Pra que outro dia de sol????? Ontem choveu o dia inteiro. Hoje o tempo tá besta que só vendo…. É assim, verãozinho “pra inglês ver”….

 

Olha aí, tô terminando o post e a tv já tá “for only one pound a week you can sponsor a dog in need… we never put a healthy dog down, but they need your help. Lucy is a lively and happy dog now, but it didn´t use to be like that… her owners moved out and left her in the place, abandoned them to starvation and loneliness (aí aparece a pobre da Lucy jogada num canto duma casa vazia, molhada, com cara de cachorro sem dono…. aaaaaaai que dóóóóó!!!!!)

Algumas considerações sobre 1 semana de balada non-stop

* Porque cargas d´água eu não descobri Farufyno no Grazie antes??
* Show do Porto no KiaOra fechou com chave de ouro, me despedi dos meus queridos músicos!!!
* Não entendo porque passei tanto tempo sem me jogar numa baladinha…
* Quanto gringo nessa cidade!!
* Fiquei pobre;
* Amo samba-rock cada vez mais! Viciei em Farufyno!
* Continuo fazendo aquela cara blasé, com a boca semi-aberta e olhar retardado fixo… mas dessa vez não é calor, é sono.
* Vou ME CORROER de saudades dos meus amigos!!
* Queria ver Marlon e Maicon de novo!
* Quero mais balada!!!
* Meu fígado pede estado de atenção…
* Xaveco faz bem pro ego.
* Fiquei a perigo, Sr. Gringo que me aguarde…
* Quero mais balada!!!! Mas só depois de dormir oito horas seguidas…

 Não pára, não pára, não pára não!!!!!!!!!

Algumas considerações sobre… ser mulherzinha

Só uma mulher sabe o que é:

– Depilar virilha completa com cêra quente por uma pessoa que nunca te viu mais gorda;
– Ter essa pessoa prendendo sua calcinha com uma presilha de cabelo pra colocar a cêra quente;
– Fazer papanicolau e colposcopia, com as pernas abertas naquela cadeira-de-tortura-medieval, e ter um ser que você nem sequer sabe o nome colocando coisas nas suas partes íntimas.
– Ter que fazer vulvoscopia (o que é pior ainda) e ter o mesmo ou um terceiro fulano apalpando as suas partes íntimas.
– Além de tudo isso, ser obrigada a assistir às suas partes íntimas num monitor de TV.
– Ter orgasmos múltiplos.
– Fingir orgasmos múltiplos.
– Segurar as nádegas enquanto a fulaninha desconhecida coloca cêra QUENTE nos países baixos.
– Se maquiar toda, achar que está horrível, tirar tudo e começar de novo.
– Se maquiar toda, achar que está linda, borrar a sombra e ter que tirar tudo.
– Usar absorvente noturno e se juntar à trupe do bebê da família e da vovó com fralda geriátrica.
– Assistir “Lado a lado” e não entender como homens não se debulham em lágrimas.
– Ter TPM, TDP, TAM. Tensão durante e tensão após.
– Gastar os tufos com drenagem linfática, estimulação russa e endermologia porque são imprescindíveis.
– Fazer as unhas toda semana e achar tão normal quanto escovar os dentes todos os dias.
– Fazer peeling para tirar as manchas de sol causadas pela pílula ou gravidez.
– O sabor de uma barra de chocolate na TPM.
– Sair toda mulambenta mas achar que tá abafando e… abafar. Pela pura presença da Pomba Gira.
– Passar num canteiro de obras e ser o centro das atenções.
– Economizar calorias no cafezinho com adoçante e refrigerante diet.
– O brilho de um diamante.
– Tomar pílula todo bat dia, todo bat horário e querer morrer quando esquece uma.
– Usar uma aliança no dedo esquerdo e ver o poder que dá… e se perguntar porque nunca tinha comprado uma quando estava solteira só pra se dar bem.
– Ficar perdidamente apaixonada, no estilo mais mulherzinha possível.
– Dizer um não bem gostoso para um cara gato muito metido.
– O espelho de casa virando o espelho dos horrores na TPM.
– Achar absolutamente essencial uma liquidação de sapatos.
– Ficar horas se maquiando em frente ao espelho, sem ter nenhum programa, só pra ver que sombra combina mais com o teu olho.
– A diferença de um meia-taça, um de bojo, um de água e óleo e o porque que aquele bordado é mais caro… com toda a razão do mundo.
– Comer um cheeseburger mega-master-blaster com maionese, catchup, molho barbacue, fritas e milkshake – num dia sem culpa.
– Dar uma galinhadinha básica na balada e sentir que está quites com os homens do mundo.
– Ir ao salão, fazer tudo o que tem direito, sem se preocupar com a conta na saída.
– Ter dez pares de sapatos e dez bolsas e a certeza absoluta de que não são suficientes.
– Ter um cabelereiro bicha-confidente e uma manicure psicóloga.
– A diferença nítida entre absorvente cobertura seca e cobertura suave.
– O que fazem duas mulheres quando vão juntas ao banheiro.
– Que sapatos bonitos são desconfortáveis e sapatos feios são confortáveis. E ainda assim ficar com os bonitos.
– Ter, ao mesmo tempo, um cabelereiro fazendo seu cabelo, uma manicure fazendo sua mão, uma pedicure fazendo seu pé, a assistente 1 servindo chazinho e a assistente 2 trazendo “Caras”…
– Sair com as amigas e falar, falar, falar – com todas falando ao mesmo tempo e se entendendo.
– Ter seios e usar o decote como xeque-mate numa investida.
– Vestir cinta debaixo de um vestido pra não marcar nada e sentir ela enrolar na barriga no meio da festa.
– Ter que acordar vinte minutos mais cedo para secar o cabelo e se maquiar.
– Tomar cerveja de garrafa, assistir e discutir futebol com a maior feminilidade do mundo, ser idolatrada pelos homens e invejada pelas mulheres que não sabem o que é impedimento.
– Não saber o que é impedimento. E ter certeza de que a sua vida não vai ser pior por causa disso.
– Passar hidratante, creme para celulite, para estrias, para firmar a pele, autobronzeador, creme para a área dos olhos, creme clareador, creme com DMAE-ceramidas-vitamina C-filtro solar-células tronco. Arrematar com corretivo e base. E nunca saber qual é a ordem certa de passá-los.
– A mágica de um finalizador de cabelos.
– Sentir ódio fulminante pelo inventor do salto alto numa festa de casamento.
– Ter um feeling e ter certeza absoluta de que aquela mulher que você conheceu naquele segundo vai te dar problema.
– A diferença entre uma anabella, um agulha, um quinze, um pata-de-elefante e uma rasteirinha.
– O poder terapêutico das novelas.
– Ter um homem falando com você e olhando para os seus seios, não para os seus olhos.
– Amar o cara que inventou a escova progressiva.
– Ter amigas que simplesmente não podem ser apresentadas para o seu namorado, mas podem continuar sendo suas amigas.
– Não ter absolutamente uma roupa sequer para vestir…. na TPM.
– Empinar um pouquinho mais a bunda só porque aquele gatinho tá te olhando enquanto você faz glúteos na academia.
– Não ter o OB encaixado direito e sentir como se tivesse sentado numa pilha.
– Pegar seis horas de trânsito na estrada e não poder fazer xixi em pé.
– Sangrar por quase sete dias e não morrer.

… E odiar profundamente tudo isso e, mesmo assim, rezar pra ser mulher em todas as outras encarnações.

Algumas considerações sobre… desenhos da década de 80

(Sentem e se joguem nos anos oitenta…)

– Olívia Palito era crente. De saia comprida, blusa de gola e coque… só podia ser crente.
Jolene, a “jacaréia” que queria pegar o Kissyfur era prima da Cuca.
– Gargamel tomava chá de cogumelo e via homenzinhos azuis que moravam numa vila de…. cogumelos! (essa já é manjada…).
– Os Smurfs foram uma viagem de ácido dos cartunistas e os Snorks, uma viagem de maconha inventando uns priminhos pros homenzinhos azuis,
– O Geninho da She-ra era viado… aparecia no final dando a moral da estória e se escondendo em todos os capítulos.
– Chaves e Gorpo (do He-man) eram primos… “o gato ou o Kiko??” (hahahaha)
– She-ra era uma lavagem cerebral na cabeça das meninas que hoje cresceram e, por algum distúrbio psicológico, continuam usando braceletes.
– Cavalo de fogo foi uma interferência machista para salvar a cidade de Dar-shan da bruxa Diabolyn… porque a pobre Sara não vencia sem ele? Mmmm.
– O mundo dos Ursinhos Carinhosos foi a primeira parada gay que a gente viu… ah, fala sério, um monte de ursinho rechonchudo, vivendo no arco-íris, num mundo de paz e amor, andando num carrinho de nuvem com um inimigo chamado “Coração gelado”!!??? BI-CHAS.  “Ursinhos carinhosos, estão aqui pra ajudar, se precisar é só chamaaar”
– Tartaruga Touché foi o Don Juan da década de oitenta. Ela e o cachorro Dum-Dum saiam em defesa da paz e dos bons costumes!!! Hahahaha!
– “Super mouse seu amiiiigo, vai salvá-lo do periiiiiigo!” Super mouse era a versão macho-man do Mickey. Ele tomou banho com super-sabão, tomou super-sopa e comeu super-queijo… virou super-mouse!!!!
supermouse.JPG
Dinamite, o bionicão, era resultado de uma rapidinha entre Scooby-Doo e o Homem Borracha!! Hahahaha, lembram que ele esticava os braços pra prender os ladrões?
dinamite.JPG
– Pica-pau foi o primeiro transformista que eu vi na vida. E ele adorava isso…
– “Capitão caveeeeeeeeerna” “E seu filho Caverninha!!!” hahahahaha, Caverninha e Bobby filho frequentaram a mesma fonoaudióloga.
– Todo mundo tem uma hiena (do Lippy and Hardy) na vida dizendo “Oh dia, oh céus, ooooh azar”. Ela foi inspirada em todos os chefes.
lippyandlion.JPG
– Olho-Vivo e Farofino eram duvidosos e só Deus sabe o que Olho-Vivo fazia para Farofino gritar ensandecido, fazendo o som da sirene do carro!
olhovivofaofino.JPG
– Zé Colméia e Catatau são a minha referência quando lembro que quero conhecer Yellowknife (pra ver as auroras boreais) e não YellowStone (o parque onde ele ficava!)
– O Esqueleto do He-man era bombado!! Como assim?? Ele era um esqueleto… musculoso!???
– “Lá vai a Triônica, Formiga Atômica !!!” E os halteres da formiga em sua toca??? Mais uma lavagem cerebral na nossa infância!!!

Para lembrar:

Manda-chuva era MUITO foda quando dizia “Gênio você cuida das guloseimas; Bacana, traga algumas garotas; Chuchu e Espeto cuidem dos panfletos; Batatinha… segure isso pra mim !” hahahahaha Manda-chuva era tuuuuudo!
– Snoooooooooopy!!!!!!! AMAVA! A minha irmã tem mania, desde criança, de pensar no Snoopy quando tá com medo! Hahahaha! Ela tem 26 anos, tá minha gente. Charlie Brown dizendo “mas que puxa”, Lino e seu paninho, o espivetado do Woodstock que dormia em ciam da casinha do Snoopy. A professora que falava umas palavras que não dava pra entender um “a”.
– Pica-pau, Leôncio e Pé de Pano. Frases históricas: “Em 20 anos trabalhando nesta Indústria Vital, esta é a primeira vez que isso me acontece”… “Chamando dr. Hans Chucrutes, chamando dr. Hans Chucrutes”, a musiquinha que ele cantava enquanto voava de costas “Daum, durumdin, daum daum durumdum”, e quando colocavam ele na máquina da transformação e cantavam “pica pau, não faça fita, amanhã de manhã vai parecer a macaca chita”! Hahahahaha, impagável!!!!!
– Como esquecer do papai Smurf e seus 550 anos, Smurfete, Poeta com o pergaminho, Apaixonado escrevendo o nome da Smurfete nas árvores, Guloso, o chato do Gênio, Azrael – o gato mala do Gargamel (eu morria de medo dele!)!!!??
– Quem lembra de Jonny Quest e seu cachorrinho, Bandit? E os mais pivetes por acaso sabem que a banda Jota Quest no começo se chamava J. Quest (“Jay” Quest) e teve que trocar de nome por causa dos direitos autorais de Jonny Quest?? Eu lembro direitinho disso!
– Gulliver e os liliputianos, alguém lembra? Ele era amarrado pelos pequenininhos e a loirinha tinha uma queda por ele hahaha! Há alguns anos eu fui pra Babbacombe Village, na Inglaterra, que é uma vila em miniatura e foi baseada no mundo dos liliputianos!
gulliver.JPG
– “Espíritos do mal, transformem essa forma decadente em Muuuun-haaaaa”… Thunderkats.
– Não vou conseguir falar de “Dartagnan e os três mosqueteiros” porque tô quase chorando depois de achar o mp3 da música que eu mais cantava quando era criança…. “Todos corajosos, sim, os famosos mosqueteiros, os perigos a enfrentar e ajudar terceiros, mil donzelas a salvar, os três mosqueteiros, contra o mal sempre a lutar….” UM POR TODOS, TODOS POR UUUUM!!
– Um dos dias mais felizes da minha vida foi quando Favos de mel descobriu ser irmã da Princesa Flora.
– Família Buscapé bem que podia ser qualquer família da roça tupiniquim. Bié, a “mulher”, sempre com a barriga de avental na pia e um lenço na cabeça – fumava cachimbo e tocava pandeiro; Zé Buscapé ficava na cadeira de balanço de fora da casa, mascando umas folhinhas (mmmmm..) e com a espingarda preparada pra pegar qualquer invasor; os filhos Rosinha, tocava guitarra, e Chapeuzinho, batucava num jarro. Alguém alguma vez entendeu o que o Zé Buscapé dizia pra mulher???? Só lembro que ela ficava muito puta…
– “Oh meu pai, meu querido velho pai”… “Oh Bobby, Bobby, meu fiiiilho”… Bibo pai e Bobby filho hahahaha… que que era a vozinha estridente de pré-adolescente do Bobby filho??
bobbifilho.JPG
– Don Pixote e sua cantoria “Oh querida, oh queriiiiida, oh querida Clementina”
donpixote.JPG
– Os eletrodomésticos dos Flinstones eram a cegonha que tocava discos com o bico ou o mamute que fazia o papel de chuveiro com sua tromba, ou o pequeno mamute que servia como aspirador de pó… E o carro, fantástico, de Fred, em que ele e Barney corriam com os próprios pés! Eu quase chamei meu cachorro de Barney… e sempre gostei do nome Fred pra menino, mas quando penso nisso imagino o gringo chamando nosso filho de “Hey Fred”… não dá, não dá. Ô influência de cartoons… E lembram da profissão do Fred? Operador de Guindaste Dinossauro, Extrator de Ardósia e pedregulhos!!! Hahahaha!
– Quem nunca quis ter a máquina do George Jetson que arrumava ele inteirinho, escovava os dentes, e colocava ele direto no carro para trabalhar na Spacely Sprockets? No futuro dos Jetsons, a única coisa não mudou foram os chefes, como Cosmo Spaceley. Ainda tinha a Rosie, uma robô empregada que o George queria jogar fora porque tinha saído de linha (hahaha), o Astro – o cachorro que quase falava, o Elroy – que era gênio em astro-física, a Juddy, irmã do Elroy – tinha um diário digital e a gente nem sonhava com I.Pod!!, a Janet, mulher do George – lembram que ela sempre preparava sucos de escaravelhos e medalhões lunares?

* Créditos de boa parte da minha memória para o site Memory Chips. Visitem, é uma viagem incrível no tempo!!!

Algumas considerações sobre… a primeira temporada de Grey´s Anatomy

– O George é realmente gay e ainda não caiu a ficha,
– A Meredith tem língua presa e fala com a voz do Chucky (o brinquedo assassino),
– Dr. Burke tem uns tiques nervosos no olho que me tiram do sério,
– Cristina é irmã-gêmea-separada-no-parto da ex-namorada da Angelina Jolie,
– Não suporto mais a cara de “Regina Duarte interpretando Helena em Páginas da vida” que a Meredith faz… virando a cabeça pro lado, abrindo um pouco a boca e fazendo cara de paisagem….
– Dr. Bailey deveria ser jogada no meio da favela do alemão pra ver se tira a cara de mal-comida,
– Dr. Sheperd… mmmm…. pode trazer aqui pra casa,
– Alex, na minha opinião, é gay e curte o George,
– Izzie é a típica “girl next door”, carinha de sonsa que roubaria seu namorado em dois palitos,

Acabei de devorar a primeira temporada de Grey´s Anatomy, nem sei em que temporada está atualmente. Portanto essas considerações valem só por enquanto.

P.S. Preciso dizer que Dr. Sheperd é a cara de um casinho meu da faculdade (outro Marcelo), misturado com um carinha que eu fui a fim por um tempão, e uma dose de Toddy Light e pimenta malagueta.