Sobre o amor

Às vezes eu tenho uma única certeza: o amor.

Foi só eu soltar essa frase no twitter ontem pra começar a chover um monte de resposta a respeito do assunto.
Comecei o dia assistindo à alguns episódios antigos de Sex and the City, e isso serviu como uma bela e gorda ficha caindo em mim. O mundo continua buscando o amor como uma intocável pedra preciosa em cima da montanha mais alta. Como se para ter amor fosse preciso batalhar muito, vencer obstáculos e se machucar.
Amor não é recompensa. O amor vem pra quem acredita nele, como todas as outras crenças da vida. Se você não acredita, ele não existe.
Eu passei anos da minha vida em busca do príncipe encantado, o cara, o Mr. One, aquele com quem eu fosse passar o resto da minha vida com a certeza inabalável de que ainda quero o resto da minha vida com ele. E eu aprendi, depois de 7 anos muito conturbadinhos: príncipe encantado é ficção e deveria ser proibido nas histórias infantis. Somos todos seres humanos que machucam, decepcionam, se machucam e se decepcionam.
A não ser que você tenha um caso com um amigo imaginário, príncipes não existem. O que existe são meninos (porque todos os homens são meninos), com muito amor pra dar, mas também cheios de medos, traumas, cicatrizes  – meninos incrédulos no amor.
E meninas também. Muitas.

Mas há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.  (Clarice Lispector)

Recebi tantas mensagens ontem: “O amor é minha única dúvida”. E foi aí que entendi o porque dessa busca incessante pelo intocável amor. A gente espera demais dele. A gente acha que o amor virá pra transformar as nossas vidas, preencher nossos corações com um calor eterno, deixar-nos cheios de certezas. E eu garanto pra vocês, o amor também traz muitas dúvidas.
Eu já disse aqui uma vez, amor e paixão são coisas completamente diferentes. Paixão é dopamina, é vício. Amor é ocitocina, é calma. Antes de tudo, há de ser definido o que você está buscando.
É claro que todo amor, geralmente, começa com um paixão, avassaladora ou não. Mas as pernas trêmulas, o frio na barriga, as noites de insônia, tudo isso tem um dia pra acalmar. E então surge o amor. O respeito. A certeza de que você ama alguém, independentemente de seus defeitos. E o mais importante: independente de estarem juntos ou não.
Isso é amor. Um sentimento que preenche, mas não te salva. É o que te faz soltar e ter a certeza de que se amam, apesar de tudo. Não é paixão, não é necessidade. É companheirismo, fidelidade, amizade. Principalmente amizade.
Por isso que eu digo que muita gente está em uma busca perdida pelo amor. Porque o amor não é paixão. O maior amor do mundo vem em outras formas. Pra mim, amor é sentir a respiração do meu cachorro quando ele deita na minha barriga e encosta o fucinho no meu rosto. Isso é o amor mais lindo.
Amor é um amigo te telefonar no meio do dia, a quilômetros de distância, pra saber se você está bem. É a tua avó fazer aquele bolo de fubá que você ama só porque você irá visitá-la na quinta-feira. Amor é uma partida de cartas com a tua família, uma panela de brigadeiro dividida.
O amor não cria expectativa. Ele é a certeza.
Amor vem em todas as formas. Formas não-humanas. Um rabinho balançando com a maior felicidade do mundo quando você chega em casa. Formas humanas. É um sorriso aberto e um abraço apertado de uma criança que queria te encontrar.
Pra mim, amor não é uma vida apaixonada. Amor é ele ir à noite me encontrar no centro pra não me deixar voltar sozinha pra casa.
Amor são pequenos gestos. É a certeza de que alguém está ali por você, não importa a situação. Incondicionalmente.
Por isso aquele velho ditado, case-se com quem você gosta de conversar. No final, é a única coisa que fica.
Nada mais sábio que isso. A paixão sempre morre aos poucos. O amor fica. Se fica, é amor. Se é amor, fica. Não há lei mais exata do que essa.
Agora, acredite nele. Busque-o, mas não se desespere. E não espere demais dele, não crie expectativas. O amor existe sim. E acontece a toda hora, quando você menos esperar. Só não acredite em príncipe encantado.

Leia também: Sobre casamento, amor e paixão

Anúncios

7 comentários sobre “Sobre o amor

  1. Ana disse:

    Muito bem definido. Conheco pessoas, bem mais velhas q vc, q passam a vida inteira trocando de relacionamentos em busca do ‘amor verdadeiro’. Nao sabem q na realidade o q buscam e’ a quimera da paixao eterna. Podem ate ja ter encontrado o verdadeiro amor, mas nao souberam reconhece-lo.
    (Meu BlackBerry, apesar de brasileiro, nao tem acentos- uma maravilha da tecnologia burra)

  2. Anathalia disse:

    “Pra mim, amor não é uma vida apaixonada. Amor é ele ir à noite me encontrar no centro pra não me deixar voltar sozinha pra casa.”

    Que lindo! Lindo as always!

    Um beijo!

    P.S.: OMG, tenho mil posts pra ler aqui no Samba!

  3. Rah disse:

    acredito nisso também.. pra um relacionamento dar certo deve ter amizade. depois de um tempo o que mantém os casais unidos é a cumplicidade. nada mais agradável que dividir a vida com um amor que é também seu melhor amigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s