Escorre 

Desceu os olhos para dentro de mim, deslizou sem medo pelas minhas pálpebras. Eu gostava da curva torta do seu sorriso, ele se afundava em um passado distante bem na esquina do meu ombro. 

A cerveja tinha o gosto do suor perdido, o beijo esfriou e ficou arquivado em alguma prateleira empoeirada. Eu sinto falta do beijo roubado. Das palavras sussurradas quentes nos meus lábios. Eu sinto falta do gosto da pele molhada, do pelo arrepiando na língua, de ouvir o mundo ecoar no seu peito. 

Éramos cúmplices de um amor que só existe na minha cabeça. Entre bares e cafés, nossos sorrisos velam um enredo escondido, promessas esquecidas,corações pisoteados demais para acertarem um erro outra vez. Já perdemos tanto tempo. 

Quando quiser voltar, me avisa. E mergulha dentro de mim outra vez – eu não sou assim tão profunda. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s