Trem

Você está morrendo em mim aos poucos, enquanto acende esse cigarro no canto da sala e finge não perceber.
Enquanto permanece alheia a essa obrigação que eu tenho de te matar aqui dentro pra não me machucar. Enquanto se obriga a anular sentimentos por não poder manifestá-los.
A vida segue um ciclo e o passado é imutável, babe. Só não tente destruir o presente por medo do futuro.
Deixa pra pensar no amanhã depois, menina, a gente já chegou na parte mais funda de tudo isso. Eu sou a sua parte leve, a risada sem compromisso, o coração batendo forte. Sou a sua parte errada e tão certa ao mesmo tempo. Sou teu ponto mais fraco, tua falta de ar, teu amigo, tua volta constante. Aproveita essa coisa bonita que a gente tem enquanto ela ainda existe. Não mate você dentro de mim à toa.
Não quero ser uma estação na sua vida, quero ser a parte divertida do teu trem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s