Brasil, pra mim

Ser Brasileira pra mim é uma benção. Acredito que Deus tenha escolhido a dedo os abençoados a nascerem nesse pedaço do mundo, um mundo novo, de pouca história e lindas estórias. Ser Brasileira, pra mim é o que há de mais sagrado no meu sangue.
Sei que você pode estar lendo isso agora e pensando na infinidade de coisas ruins que acontecem na nossa terra, desde o minuto em que Cabral colocou seus olhinhos vorazes sobre ela. Sei de tudo, sei de toda a corrupção de todos os governos, de toda a ignorância de um povo, de toda a falta de civilidade, de toda a picaretagem. Sim, eu sei de tudo. E sempre soube. E a bem da verdade, pensei muito em me rebelar quando era adolescente e fazer passeatas contra o Collor e a poluição visual, me mudar pra um país mais evoluído. Mas tudo isso não passou de uma passeata contra o aumento da mensalidade da minha faculdade e um intercâmbio de férias na Europa.
Ok, eu tenho uma situação um pouco mais privilegiada do que a maioria do nosso povo e pude fazer um pouco mais da minha vida. Mas meus avós não tinham nada, e tudo o que tive a vida inteira foi custo de muito suor. Sou bisneta de italianos colonos, como uma grande parte de São Paulo. Sou Paulista, cresci no asfalto, andei de carro e ônibus a vida toda, respirei “ar regular” desde criança.
Sou de um país cheio de defeitos, cheio de desigualdades e coisas feias, mas não vim aqui pra falar disso. Vim aqui pra abrir seus olhos, você que mora aí e reclama todos os dias. Você, Brasileiro, que não quer nem ouvir sobre as coisas boas que existem ao seu redor.
Por obra do destino eu fui “exilada” por mim mesma. Fui colocada no outro canto do mundo pra dar espaço a um amor que eu só podia ter aqui, na Europa. E um ano e meio sem colocar meus pés no Brasil me tornaram uma pessoa muito pior. Uma pessoa cheia de medos, de dúvidas, sem vida. Eu vivi uma vida aqui, até então, que eu relutava pra enfrentar. Comecei uma vida do zero, como se tivesse nascido de novo e essa vida não foi nem um pouco fácil. Faltava uma parte de mim, faltava uma família inteira, uma penca de amigos e uma alma que só existia num lugar do mundo.
Vou te contar uma coisa… eu moro no interior da Inglaterra. Uma cidade quase sem crimes, com algumas coisas interessantes pra se fazer, com gente do mundo todo. Estou a meia hora de Londres e todo seu agito. Tenho amigos do mundo todo aqui, uma casa alugada, um emprego, um marido nacional. Pode parecer a vida perfeita, aquela que muita gente sonhou, mas é aí que mora a questão. Você se adapta? Adaptação é um processo muito fácil quando se tem dia pra voltar pra casa. Quando não se tem, a estória é bem diferente.
A Inglaterra pode parecer um sonho, o povo é muito cordial e receptivo, mas sempre falta alguma coisa. Eu sempre tenho a sensação de morar em um país fantasma. É porque aqui, minha gente, falta alma.
Falta a alegria que o Brasileiro tem desde que nasce, falta a ginga, o jogo na cintura pra lidar com os repentes da vida, falta o lado positivo, o otimismo, o sacudir a poeira e dar a volta por cima. Falta um olhar que diz tudo e um sorriso que abre portas, falta alguém respondendo o seu bom dia mesmo sem nunca ter te visto na vida. Falta alguém pra te dizer do nada “vá com Deus”. Falta um Deus. Falta uma religião, faltam crenças, faltam bençãos. Falta vida, falta alma.
Todos os dias da minha vida aqui eu tento me lembrar de que sou Brasileira. De que nasci com um sorriso pra quem quiser recebê-lo. De que nasci com otimismo e com vontade de vencer na vida e mudar o mundo. Nasci num país onde o tempo passa mais devagar, onde as pessoas dançam e cantam, onde as crises passam e mudam.
Eu sou Brasileira do dedinho do pé ao fio de cabelo, e muitas vezes queria ser a típica Brasileira ao invés das sardinhas no rosto branco. Queria que as pessoas não me dissessem que jamais imaginariam que sou do Brasil. Queria transbordar toda essa magia que só a gente tem.
O mundo tem muitos defeitos. Todos os países tem seus problemas, e os daqui são tão grandes quanto os daí. Mas a gente continua vivendo… o Brasileiro continua empurrando a carroça e fazendo a vida acontecer. Sem extremismos, num país abençoado com inverno e verão decentes, com um dia que nunca escurece antes das cinco e meia da tarde. Com temperaturas amenas, chuvas que trazem aquele cheiro de terra molhada.
Sabe um fim de tarde, desses de sentar na grama e ver o sol se por? Aqui se você tiver sorte, conseguirá fazer isso por duas semanas no ano. Sabe uma noite enluarada, com seus amigos ao relento? Sabe as árvores sempre ricas, o verde sempre verde, os pássaros na sua janela? Sabe o cachorro da vizinha latindo, o galo cantando, as crianças fazendo barulho e brincanco na rua? Sabe o barulho, de gente viva? Aqui não tem. Eu dou graças a Deus quando ouço um cachorro latindo, pra quebrar o silêncio do dia.
O cheiro de pão quentinho saindo na padaria, a música do caminhão de gás que você odeia, aquele cheirinho de alho e cebola refogando todo santo dia… A felicidade de ir pra praia a hora que der na telha, as pessoas andando de bicicleta, correndo no calçadão, a benção de um dia de sol quase todos os dias do ano. Um sol que esquenta.
O porteiro que sabe a sua vida inteira, o vizinho que vem te ver quando você tá doente, o médico que te conhece desde pequeno, a sua avó que faz aquele bolo de fubá à tarde e anota as receitas nos programas femininos da tarde. Aquele bolo que perfuma a casa toda. As novelas que todo mundo assiste, o santo futebol de quarta feria. O cafézinho, de todas as horas, de todos os lugares… “a senhora aceita um café?” Quanta Brasilidade tem nessa pergunta, meu Deus! O nosso café incomparável, a generosidade do nosso povo, o papo que vem do nada e dura horas com alguém que você nunca viu antes. As praças, os parques. O parque com ciclovia, quadra de futebol, de tênis. As quadras públicas para as nossas crianças terem o que fazer. O Bem-te-vi, o sabiá, o papagaio do vizinho…
É tanta Brasilidade que faz a nossa alma reviver. É tanta coisa pra se fazer no mesmo espaço de 24 horas… é um tempo mais útil, que passa mais devagar. É um povo que te acolhe e que ama a vida. É um povo que luta, que dá e recebe. São almas. Almas ensinadas a viver. Por isso que digo que Deus nos escolheu a dedo.
Nós sabemos aproveitar a vida, sabemos o valor de cada dia. Sabemos o quanto é importante a família e a amizade, o quanto vale o contato com o próximo. Sabemos que as dificuldades estão aí para serem superadas, e não há nada que desanime o nosso samba. Porque a vida tá aí, pra quem quiser viver. E ela passa rápido demais para sermos melancólicos e desacreditados. Passa rápido demais para vivermos sem crença e sem amor. Pra vivermos sem alma.
O Brasil é um país com alma. E é essa alma que eu nunca, nunca hei de renegar na minha vida. Porque o dia em que eu fizer o que muitos brasileiros fazem por aqui, “esquecer o Brasil”, eu estarei morta e longe da minha essência que me faz ser quem eu sou. Quem eu nasci pra ser. Uma Brasileira, com muito orgulho e muito amor.

Anúncios

4 comentários sobre “Brasil, pra mim

  1. Erika disse:

    Ola! Vou te dizer q sou sua mais nova leitora.. cheguei aqui sem pretensoes, nem sei vindo de qual blog (acho q o da Fee..) e adorei seu jeito mega divertido de escrever! Gente, as musicas das antigas, as suas tiradas.. tudo!Como temos praticamente a mesma idade, eh facil se identificar com as coisas, epocas, gostos q vc tem/ passou.

    Me identifico muito tb com o fato de ter morado fora por um amor (mas nao deu certo, entao abafa..rs) e ter sentido falta de tudo no Brasil.. enfim, nem vou entrar nesse assunto, pois to de bom humor!…

    Fui ate ver quem era o Marlon q tua irma ficou! kkkkkkkkkkkk o cara eh muuuuuito gatinho! Diz pra ela q ela mandou mega bem! hahhahahahaha

    Vc ta no meu pacote de blogueiras q quero, com certeza, conhecer! rs Assim q eu der um pulo em Londres, vamos ver se combinamos algo!

    Tudo de bom pra ti e que seu coracaozinho sossegue pra q vc nao sofra tanto com a distancia da sua patria. beijocas, Erika

  2. Erika disse:

    sera q da pra fazer comentarios retroativos? kkkk tem varios posts, q se eu tivesse lido na epoca, com certeza iria comentar! 😉

    vou virar participante ativa, assim como to tentando la na Fee, q eh uma fofa e sempre me responde!

    beijo de novo!

  3. Mrs. disse:

    Oi Erika!!! Prazerrrrr querida e obrigada pelo carinho!!! Dá pra fazer sim, só que eu tenho que aprovar antes, então não vai te mostrar na hora que foi postado! Mas sinta-se à vontade, tire os sapatos!!!!
    Beijos e te vejo por aqui em breve!!!

  4. flor disse:

    Foi o post mais lindo e verdadeiro que eu já li de todos os blogs que eu visito,e olha que são muintos…falou tudo tô com os olhos cheios d’água…lindo,lindo,bjs…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s