A briga do alho

Aqui na Inglaterra tem um prato muito típico e comum. É o Sunday Dinner, ou Roast Dinner. Na verdade nada mais é do que frango assado ou carne assada, com batatas assadas e vegetais cozidos (vagem, cenoura, ervilhas e brócolis). E, claro, yorkshire pudding, que é uma massinha frita sem nutrientes nenhum e super gostosa! Ah, sim, e muito gravy (molho de carne). É comum as famílias se reunirem para um roast dinner aos domingos, em casa ou em um pub.
Com a família do David já foi assim, quando a avó dele estava viva. O pai também faz um delicioso. E aí eu resolvi fazer um pro pobre coitado do meu marido, roast-dinnerless, em casa. Ok. Na verdade fiz um bom bife ao invés de carne assada, que era o que eu tinha em casa. Me parti ao meio para cozinhar os vegetais, porque odeeeeeeeeio cozinhar as criaturinhas. Pra mim tem que ser só no vapor e olhe lá, se não perde todos os nutrientes. Pelo menos usei os bichinhos frescos, não há quem me faça cozinhar enlatado. É vagabundagem demais.
Assei as batatas com óleo de semente de uva, os yorkshire puddings comprei congelados. Só que, minha gente. Inglês come uma comidinha que dá até saudades de comer chuchu… é sem graça, sem sal, sem tempero. É tudo cozido em água ou assado em óleo, e só. E a pobre criatura do meu marido tá acostumada com isso… E a mini-criatura aqui foi criada em ninho italiano, com nonna e nonno amassando gnocchi, alhos e pimentas calabresas secando ao sol, compota de cebolinha feita em casa, sabe? Casa sem cheiro de alho, pra mim não é casa. E esse é ingrediente onipresente, como pra todos os brasileiros. Sem alho, azeite de oliva, ervas, pimenta do reino e sal eu não cozinho.
E fui lá eu, mirabolar o prato britânico. Cozinhei com muita dor os vegetais, mas cozinhei em caldo de legumes com ervas (não dá pra comer o trequinho só com água, concordam???). Assei as batatas com alho, cebola, sal, pimenta e ervas. Temperei a carne do jeitinho brasileiros. E o gravy, resolvi fazer com o molho da própria carne mesmo e não com aquele granulado pronto que eles colocam água quente e vira molho. Ficou lindo meu roast dinner. Tudo perfumadinho, saboroso, com saaaaal!!!!! Os vegetais o David gosta bem cozidos, molinhos, eu acho um horror, mas pelo menos eles estavam saborosos!
Montei o prato do marido, me senti praticamente a Ofélia e servi. Ele comeu quieto. Resolvi perguntar se tava bom… ele disse que sim, mas que sunday dinner na Inglaterra não tem alho…. e ainda disse “pra um italiano deve estar ótimo…”

Ai, meu São Crispim!!! Alguém tem que jogar um sal e um alhinho na vida desses ingleses! Por isso que Jamie Oliver foi pra Itália e não voltou mais…

Anúncios

3 comentários sobre “A briga do alho

  1. Laura disse:

    Nossa, eu li seu texto e pensei a mesma coisa. o povo aqui num coloca tempero, num põe sal, pimenta, nada.
    Coloca umas pimentinhas redondas que num tem gosto de nada e ficam se achando.

    Eu me viro aqui em Amelia, Ofelia, Ana Maria Braga pra na hora que pergutar (pq tem horas que se num perguntar, nem isso) se ficou bom ouvir: “ficou, mas tem muito tempero ne”.

    =/

  2. Angela disse:

    oieeeeee

    aahhhhhhhhhhhhhhhhhh concordo com vc!!!!
    Cozinhar sem sal, cebola e alho nao dá!

    Devia estar uma delíciaaaaa a sua comida, hein…

    sabe que ADORO o Jamie Oliver !? !

    bjo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s