Osso duro de roer

Acabei de voltar do cinema, acho que sou uma das últimas brasileiras a assistir “Tropa de Elite”. Nem vou comentar muito o filme porque já virou assunto redundante de blog.
Na verdade queria firmar aqui o porque de eu ser uma das últimas brasileiras a ver o filme. Porque eu sou contra a pirataria. E pode parecer hipocrisia, mas sou mais ainda contra a pirataria nacional.
Várias vezes me ofereceram o dvd pirata do filme e eu me recuso. Esperei até conseguir ir ao cinema e pagar pelo que estou assistindo, devolver o dinheiro por uma mega produção.
Acho o fim apoiar a pirataria nacional. Não que eu faça apologia à pirataria de outros filmes, temos é que apoiar o cinema nacional para que continue com a qualidade que está, e para apoiar precisamos pagar por ele. Não somente assitir.
Tá certo. Piratas de Hollywood também são criminosos e também sustentam o crime e um sistema marginalizado. Mas, no Brasil, a cultura do cinema deveria ser estimulada, e isso não acontece quando uma entrada chega a custar R$ 22 . Acho sim é que o nosso digníssimo Sr. Ministro da Cultura deveria ter feito alguma coisa à respeito dos preços do cinema há muito tempo. É fácil querer o fim da pirataria. Difícil é fazer um casal ir ao cinema uma única vez por menos de 10% do salário mínimo.
Outro absurdo é a carteirinha de estudante. Acho o fim da picada quem não é estudante ter que bancar quem é – ou não. Sim, porque os preços subiram de um modo que a meia-entrada de hoje é a entrada inteira de antigamente, e inteira é o dobro. Como iludem a gente né! E isso para justificar a venda de meia-entrada, dizem que tem muita gente com carteirinha…
Aí entra o direito de desconto para estudante. Agora querem limitar a idade do desconto. Desculpa, mas estudante é estudante e independe da quantidade de rugas. É tanta apologia à voltar a estudar, mas se tiver mais de 30, nananinanão. Faça o favor de não se dar ao direito de ter carteirinha, estás velho demais para isso, meu amigo. Se tem mais de trinta é bom ter uma notinha de vinte na carteira… É como alguns tipos de curso. Em qualquer lugar do mundo qualquer curso “full time” (com uma determinada carga horária) dá direito à carteirinha ISIC. No Brasil não. Acho um abuso isso. Quando vim da Inglaterra com a minha carteirinha inglesa, da ISIC, igual à de todo mundo aqui, não pude pagar meia em lugar nenhum. Simplesmente porque o meu curso era de idiomas e, aqui no Brasil quem estuda idioma não é estudante, tá? É o fim.
Agora pensem bem. O Cinemark está nessa promoção de R$ 6 a inteira até amanhã. Vocês acham que eles acordaram de bom humor e resolveram bancar os direitos dos filmes? Claro que não, os seis reais pagam por isso. Agora quase 400% deste valor é simplesmente lucro. Sabem quanto um combo de pipoca pequena, refrigerante e sonho de valsa saiu hoje no Cinemark? R$ 3,50! E, mais uma vez, óbvio que eles não estão tendo prejuízo. Sabe quanto custa um saco de pipoca grande em dia normal? R$ 10. É por isso que eu vou em dias de promoção assim, e aproveito o quanto posso. Olha a margem de lucro dos caras, olha o desrespeito ao direito de Cultura.
Mas voltando ao “Tropa de Elite”, tenho algumas considerações. Não vou ficar aqui vendendo meu peixe ou não para o Capitão Nascimento. Concordo que se toda a polícia tivesse o treinamento do BOPE as coisas seriam diferentes. E concordo, acima de tudo, que pagando mal não dá pra ter honestidade em lugar nenhum do mundo.
Digo que saí do cinema com dor no peito, com vontade de chorar. Não que tudo seja uma uma verdade que ninguém conhecia, mas é diferente conversar à respeito e ver tudo exposto ali, nu e cru. É decepcionante viver num país como o nosso, é triste, é humilhante. Deve ser mais humilhante ainda querer ser policial correto num sistema completamente perdido. Tá tudo tão errado, e parece que a bola de neve só aumenta. Parece que nada melhora. Eu, pra ser bem sincera, não aguento mais noticiário. Menina presa com homens, advogado assassinado por delegado, leite do governo sendo vendido em padaria, drag-queen fazendo show em Assembléia…. Não dá mais. Não dá pra culpar só a globalização pela expansão das notícias, as notícias ruins estão aumentando sim. É fato.
As coisas realmente parecem ter fugido do controle. E, impressionante, mas a corrupção ficou banalizada, completamente banalizada desde o mensalão. Virou festa da mãe Joana e ninguém mais tá nem aí. Se alguém viu essa performance da drag de fio dental em plena Assembléia, sabe do que tô falando. E se alguém viu o próprio camarada que organizou isso dizer que vai fazer um projeto para que deputados possam entrar na Assembléia de bermuda e chinelo, sabe que a política virou palhaçada.
Tudo bem que essas coisas são assim desde 1500. Só que agora a corrupção e a falta de respeito são esculhambadas, pra quem quiser ver. E que se dane quem estiver vendo. Me desculpe Senhor “não vi nada”, mas toda essa escancaração tem uma estranha coincidência com o dia em que você virou vidraça, e não mais pedra.
Misturei um monte de assuntos mas desabafei.

Quantas crianças a gente vai ter que perder para o tráfico pra playboy enrolar baseado?

Pense, classe média, pense. Capitão Nascimento tem total razão: somos nós quem sustenta essa merda. Lembre disso quando fumar um beck ou comprar um pirata.

Anúncios

Um comentário sobre “Osso duro de roer

  1. Flavia disse:

    Nao li o post por que nao vi o filme… mas estou louca pra ver. Soh vou comentar no primeiro paragrafo, pois sou totalmente contra Pirataria..acho um absurdo pessoas comprarem copias pessimas de filmes ou cds.

    Bjs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s