A menina ruiva

Eu tenho cruzado com as mesmas pessoas quando estou a caminho do trabalho, de manhã. Uma delas é a menina ruiva.
No primeiro dia que a vi o mundo quase sumiu. Ela é a menina mais linda que já vi caminhar. Alta, magra, cabelos claros e vermelhos, sardas em uma pele imaculadamente branca. Olhos enormes, verdes, com cílios que podiam ser vistos de longe. Nariz pequeno, boca perfeita. Ela é toda perfeita, a menina ruiva. E no primeiro dia que a vi ela roubou o sol.
O céu estava cinza, com nuvens carregadas. A temperatura já estava baixa e todo mundo caminhava em seus mundos solitários, envoltos em casacos e cachecóis, ouvindo alguma trilha sonora particular em seus Ipods. A minha era “Million Faces” do Paolo Nutini, e serviu muito bem à ocasião.
Eu caminhava ao lado do rio Tâmisa, observando suas águas que às vezes não se movem, seus patos e cisnes esperando ansiosamente por algum pedaço de pão de fôrma. A million faces pass my way, they are all the same, nothing seems to change anytime I look around. Mentira, naquele dia tudo mudou e os rostos nunca mais seriam os mesmos.
Eu cruzei com a menina ruiva em cima da ponte. Eu indo, ela vindo. Bem em cima do Tâmisa. Quando ela apareceu, seus cabelos lisos e compridos se incorporaram às folhas de outono, vermelhas, quentes, espalhadas pelo chão como um manto e ainda resistentes nas árvores do fundo. Ela vestia apenas um sobretudo roxo e sapatilhas verdes, como uma modelo de passarela. E caminhava sorrindo, como se fizesse parte de uma propaganda de absorventes.
Ela sabia que o mundo parava ao seu redor, ela sentia os olhares. Ela era o sol naquela manhã fria e escura. Ela era as cores.
E eu me senti o pleno inverno, em toda a imensidão preta do meu sobretudo e na quadradice dos meus óculos. Ela me fez sentir o frio, mas só quando foi embora. Porque pelos poucos segundos em que caminhou sobre a ponte, em passos largos e rápidos de pernas compridas, ela aqueceu toda a beira do rio.
Ainda a encontro nas manhãs frias de Outono. E ela sempre traz o sol consigo.

Anúncios

4 comentários sobre “A menina ruiva

  1. Rah disse:

    Desde que eu pintei meu cabelo de vermelho vivo aos 14 sou apaixonada por essa cor, mesmo os naturais! Morro de inveja de um bom e velho ginger quando vejo passar – bem arrumado um cabelo desses é show, n tem como não olhar. Algo assim bem campanha de tintura L’Oreal. *-*
    Parece que vi a menina passar na ponte agora. Muito, muito bom esse post. Adorei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s