Amor é água que flui

Se eu pudesse escolher, escolheria nunca ter te amado. Ainda que isso significasse uma vida toda sem seus sorrisos, seu olhar dentro do meu, ainda que passasse todos os dias sem seu beijo. Que se danem as palavras jogadas ao vento, essas promessas de amor mal elaboradas, que se dane o soco no estômago a cada meia dúzia de palavras clichês, tiradas meticulosamente de um manual profissional.
You take me for granted, babe. Você não sabe me amar, você não me deixa te amar. Não pense que estarei para sempre do seu outro lado; da linha, da cama, da história. O que não dá retorno não vale a pena. Amor é água que flui, quando bate em muro de pedra, transborda. Sufoca. Afoga. E eu já não tenho mais saco para remar contra a maré. Ainda que isso signifique um futuro todo sem seus sorrisos, seu olhar dentro do meu, ainda que passe todos os dias sem seu beijo. Cuida da gente, só um pouquinho. Não perde. Quebra essa parede de pedra e deixa a gente fluir de novo. Calmo, amor tranquilo, barquinho na correnteza.

 

Seus silêncios me congelam. Sua falta de interesse tem gosto de faca afiada dentro do meu avesso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s